VdA é a única sociedade de advogados nacional a apoiar a Comissão Europeia em assuntos de IVA

O “VAT Expert Group” de Bruxelas para o triénio 2019-2021 contará com a participação do escritório português, que far-se-á representar por Conceição Gamito e Francisco Cabral Matos.

A sociedade de advogados Vieira de Almeida (VdA) foi nomeada membro do grupo que aconselha a Comissão Europeia em matérias tributárias ligadas ao VAT [Value Added Tax, o correspondente ao IVA].

O “VAT Expert Group” de Bruxelas para o triénio 2019-2021 contará com a participação do escritório português, o único a nível nacional, que far-se-á representar por Conceição Gamito e Francisco Cabral Matos.

A senior adviser e o coordenador da área de Fiscal da VdA farão parte da equipa criada a 26 de junho de 2012 pela Comissão Europeia, para aconselhar a instituição na preparação de atos legislativos e outras iniciativas políticas no domínio deste imposto e transmitir informação sobre as medidas nos diversos Estados-membros.

O VAT Expert Group para o triénio 2019-2021 é composto por 34 organizações, incluindo instituições académicas, entidades representativas do setor empresarial, associações profissionais e sociedades de advogados. “A participação neste grupo de trabalho é um elevado reconhecimento, bem como uma responsabilidade que muito honra a VdA”, explica a firma.

Segundo a Comissão Europeia, o grupo de ‘experts’ em IVA é composto por indivíduos nomeados a título pessoal com a experiência necessária na área do IVA e organizações que representam, em particular, empresas e profissionais da área tributária, que podem ajudar no desenvolvimento e implementação de políticas de IVA. “A Comissão pode atribuir o título de observador a certos indivíduos ou organizações e, caso a caso, convidá-los a participar das reuniões sobre questões que lhes são de particular interesse”, refere a mesma entidade.

Recomendadas

PremiumAna Gomes: “Fundo de Recuperação é a oportunidade para a União Europeia se reinventar”

Webinar organizado pela Antas da Cunha ECIJA e pelo JE debateu as tensões internas na Europa que travam a integração. Decisão do Tribunal Constitucional alemão centrou as atenções do painel.

Procura-se política fiscal

Porque não ampliar transitoriamente a isenção de IRC para perdões de dívida e dações em pagamento, previstas no CIRE, a operações de reestruturação de dívida fora desse quadro processual, insuficientemente ágil e formal?

CCA escolhe mais um parceiro tecnológico: “Esperamos que gerem elevados ganhos de eficiência”

Jorge Machado, ‘managing director’ da sociedade, explica que “uma das plataformas tem a capacidade de aprender com as rotinas de trabalho do advogado” e, depois, de lhe sugerir “o que fazer com base nessa autoaprendizagem”.
Comentários