Vêm aí os liberais. Novo partido quer disputar espaço político com PS e PSD

A Associação Iniciativa Liberal defende três pilares: a liberdade política, a liberdade económica e a liberdade social. Os membro da nova força política argumentam que nenhum partido ao centro em Portugal cumpre estes três princípios.

A corrida às assinaturas para fazer nascer uma nova força política em Portugal começou. Este fim-de-semana, membros da Associação Iniciativa Liberal andaram pelas ruas a dar a conhecer o novo partido, que se posiciona mais ao centro entre o PS e o PSD e que querem criar para concorrer às eleições europeias e legislativas.

Segundo avança o jornal ‘Diário de Notícias’, um grupo de jovens da Associação Iniciativa Liberal estiveram na feira do livro a recolher assinaturas, sendo que serão necessárias 7.500 para que se proceda à constituição de um partido. Rodrigo Saraiva, consultor de comunicação da associação, explica que esta nova força política assenta na “disseminação dos valores liberais, porque há muitas ideias erradas sobre o que é ser liberal”.

Apoiado num manifesto que tem por base o Manifesto Liberal de Oxford, que pode ser consultado no website do partido, a Associação Iniciativa Liberal defende três pilares: a liberdade política, a liberdade económica e social, argumentando que nenhum partido em Portugal cumpre estes três princípios.

“A governação PSD-CDS demonstra que o pilar da liberdade social não existiu e para a liberdade económica não basta umas privatizações para atingir esse obejtivo. As empresas continuam a ter imensos problemas para se constituírem”, afirma Rodrigo Saraiva.

Na azáfama para criar o partido estão previstos debates sobre várias áreas e a elaboração de um programa político. O fundador da associação adianta que o objetivo é levar as ideias que defendem às próximas eleições europeias e às legislativas, ambas marcadas 2019.

“Estamos a iniciar uma maratona, perseverança vai fazer parte do nosso ADN”, sublinha Rodrigo Saraiva. “Lá chegaremos e iremos levar uma visão liberal ao Parlamento. A diversidade política vai ajudar à maturidade da democracia portuguesa”.

Ler mais
Recomendadas

Marcelo devolve ao Parlamento diploma sobre Casa do Douro

A polémica em torno do organismo duriense continua. O Presidente da República quer que o Parlamento analise com mais cuidado e detalhe a fórmula encontrada.

Vice-presidente de Santana Lopes cai de varanda e fica ferido com gravidade

Depois de Pedro Santana Lopes e de Paulo Sande, também o vice-presidente do Aliança foi vítima de um acidente.

Principais partidos redobram esforço de campanha um pouco por todo o país

As eleições são para a Europa mas a tónica continua a ser ‘caseira’. O PS e o governo de António Costa estão no centro da atenção das restantes formações políticas.
Comentários