Vendas de bens tecnológicos devem crescer 12% em 2021

No ano passado, os portugueses compraram equipamentos que lhes permitisse realizar o teletrabalho. Para a Black Friday de 2021, os consumidores estão à procura de equipamentos que simplifiquem a vida pessoal como robots de cozinha, televisões com mais de 70 polegadas ou wearables.

O mercado de bens de consumo tecnológicos devem crescer 12% no total do ano de 2021, um valor que deve ser reforçado pelas vendas da Black Friday no final de novembro, considera um estudo da Gfk Portugal. Os dados da multinacional de estudos de mercado assenta na Black Friday do ano passado, quando 53% das compras foram realizadas online.

“Este ano prevê-se um comportamento semelhante por parte dos consumidores, apesar do regresso gradual das compras tradicionais em lojas físicas”, escreve a Gfk Portugal em comunicado. Agora, com a economia a melhor, a multinacional antecipa que os retalhistas que conjuguem as vendas online com as vendas em loja sejam os grandes beneficiários da Black Friday.

No ano passado, os portugueses optaram por comprar bens tecnológicos que melhorassem o acesso ao teletrabalho, como computadores, que viram um aumento de 26% no ano passado, e monitores, num aumento de 35% em 2020 face ao ano anterior. Agora, e segundo o estudo, os consumidores portugueses estão a valorizar “produtos mais sofisticados.

Entre janeiro e setembro, o sector de informática registou um crescimento de 21% na compra de tablets, computadores, impressoras e notebooks. Estas compras demonstraram que os consumidores estão mais preocupados em manter as condições ideias que acarretem uma nova necessidade do teletrabalho e escola à distância.

O estudo da Gfk mostra ainda que os produtos de telecomunicações vão apresentar uma recuperação este ano. As vendas do sector cresceram 20% entre janeiro e setembro de 2021, tendo sido impulsionadas pelos wearables (+50%), smartphones (+19%) e headsets/headphones (+29%).

Também a procura por eletrodomésticos cresceu consideravelmente durante a pandemia. Um exemplo dado pelo estudo foi o aumento de 134% na procura por robots de cozinha durante a Black Friday, comparativamente com uma semana sem promoções.

Em 2021, a procura neste segmento têm-se focado nas máquinas de café, mais 33% entre janeiro e setembro, ou processadores de alimentos, um procura 4% superior à entre janeiro e setembro de 2020.

Os dados mostram que durante o primeiro confinamentos, os portugueses preferiram produtos de tecnologia premium para melhorar o ambiente doméstico, sendo que as vendas de televisões panorâmicas com mais de 70 polegadas aumentaram 64% entre janeiro e setembro de 2021.

Recomendadas

SEDES propõe mais deputados eleitos pelas comunidades para melhorar relação com Portugal

O aumento do número de deputados eleitos pelos emigrantes e a adoção do voto eletrónico são algumas propostas apresentadas hoje pela SEDES para melhorar a relação entre Portugal e as suas comunidades no mundo. No seu V congresso, que decorre desde sexta-feira e até domingo em Carcavelos, concelho de Cascais, a SEDES – Associação para […]

PremiumEconomista Sérgio Rebelo diz que “é importante evitar os cortes súbitos de despesa e subidas de impostos”

O economista português, professor nos EUA, alerta que instabilidade política pode “facilmente” criar instabilidade económica com impacto para o refinanciamento da dívida portuguesa e diz que o país tem pouco espaço fiscal.

Imobiliário: tecnologia “abre a porta” a investimentos nacionais e estrangeiros

A tecnologia está a transformar de forma profunda a gestão das transações e o fecho das operações deste sector, numa tendência que já se verificava e que se intensificou com a pandemia e o incremento das soluções tecnológicas, exemplifica Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Portugal.
Comentários