Venezuela: “aprendemos as lições sobre os riscos associados ao uso da força militar”, diz Mike Pompeo

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, defendeu hoje a “retenção” militar dos Estados Unidos na Venezuela, excluindo uma eventual intervenção armada para expulsar o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, mas cuja saída do poder prevê estar próxima.

Num discurso sobre a política externa do Presidente Donald Trump na América Latina, Pompeo indicou que a prioridade era combater o “socialismo”, mas teorizou uma diplomacia feita de “realismo, retenção e respeito”.

“Nós dissemos que todas as opções estavam em cima da mesa para ajudar os venezuelanos a recuperar a sua democracia e a sua prosperidade”, salientou o chefe da diplomacia dos EUA em Louisville, cidade do Estado norte-americano de Kentucky.

No entanto, Mike Pompeo sublinhou que a estratégia “realista” do Presidente dos EUA em relação à Venezuela causava pressões económicas e diplomáticas, mas também “retenção”.

“Aprendemos as lições históricas sobre os riscos significativos associados ao uso da força militar”, advertiu Pompeo.

Washington reconheceu, em janeiro, o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela e impôs sanções económicas para pressionar Nicolás Maduro a deixar o poder.

Mike Pompeo pediu, no entanto, paciência, invocando o exemplo da queda do regime de Nicolae Ceausescu na Roménia, para assegurar que o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, acabaria por ser forçado a sair.

“Em julho de 1989, Nicolas Ceausescu afirmou que o capitalismo chegaria à Roménia no dia em que as maçãs crescessem em choupos – e em dezembro do mesmo ano, foi executado”, sublinhou Pompeo.

“O fim está próximo também para Maduro. Simplesmente não sabemos a data”, acrescentou o secretário de Estado norte-americano.

A Venezuela vive uma crise social e política, com reflexos humanitários.

Em janeiro, Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional – onde a oposição é maioritária -, autoproclamou-se Presidente interino, questionando e desafiando a legitimidade de Nicolás Maduro.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: França com aumento de novos casos após 16.282 infetados nas últimas 24 horas

Apesar destes dados, o número de pessoas internadas está agora abaixo das 30 mil pela primeira vez desde 08 de novembro, sendo que 4.136 destas estão nos cuidados intensivos.

Filha de emigrantes, ministra francesa mantém “laços extremamente profundos” com Cabo Verde

Com um percurso de mais de 30 anos no setor privado onde passou por várias empresas do ramo tecnológico como a Dell, Lenovo e Hewlett-Packard, Elisabeth Moreno aceitou este verão o convite do então recém-designado primeiro-ministro, Jean Castex, para integrar o Governo. Um desafio perante o qual não hesitou.

Brasil reduz défice externo em 82,3% entre janeiro e outubro

Nos últimos 12 meses até outubro, o défice nas transações externas totalizou 15,3 mil milhões de dólares (12,8 mil milhões de euros), o equivalente a 1,04% do Produto Interno Bruto (PIB), o menor saldo acumulado desde fevereiro de 2018 (0,97% do PIB).
Comentários