Venezuela: dois aviões russos com 100 soldados aterram no aeroporto de Caracas

As ligações entre Moscovo e a Venezuela ficaram mais fortalecidas nos últimos meses, após o agravamento das relações entre os EUA e a Venezuela. Em dezembro, a Rússia enviou dois aviões da força aérea como parte de um exercício militar.

Rússia, Vladimir Putin

Dois aviões militares russos aterraram em Caracas, o principal aeroporto da Venezuela no passado sábado, alegadamente transportando dezenas de tropas e uma grande quantidade de equipamentos. Os aviões foram enviados para “cumprir contratos militares”, segundo informou a agência de notícias russa “Sputnik”, revela esta segunda-feira a “BBC”.

Javier Mayorca, jornalista venezuelano, escreveu no Twitter que viu cerca de 100 soldados e 35 toneladas de equipamentos descarregados dos aviões, que surgem três meses depois das duas nações terem realizado exercícios militares em conjunto.

A Rússia é desde há muito tempo aliada da Venezuela, emprestando milhões de dólares ao país sul-americano, apoiando a sua indústria petrolífera e militar. Os russos mostraram-se também contra as sanções dos EUA para com o Governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro.

Um avião militar com uma bandeira russa na fuselagem foi visto na pista de um aeroporto no domingo. Foram ainda divulgadas imagens nas redes sociais, para mostrar as tropas russas reunidas no aeroporto.

As ligações entre Moscovo e a Venezuela ficaram mais fortalecidas nos últimos meses, após o agravamento das relações entre os EUA e a Venezuela. Em dezembro, a Rússia enviou dois aviões da força aérea como parte de um exercício militar.

A Rússia condenou outras potências estrangeiras pelo apoio ao líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, que se declarou presidente interino em janeiro. O presidente Nicolás Maduro acusou Juan Guaidó de tentar montar um golpe contra ele com a ajuda dos “imperialistas dos EUA”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumFuturo de Espanha decide-se a partir de Estremera

Hegemonia da ERC na Catalunha pode levar a maioria absoluta de esquerda liderada pelo PSOE de Pedro Sánchez, juntando também o Unidos Podemos.

Joana e Mariana Mortágua: “Leva o Bolsonaro para ao pé do Salazar”

“Ó meu rico Santo António, ó meu santo popular, leva lá o Bolsonaro, leva lá o Bolsonaro para ao pé do Salazar”. É assim a letra da música, que envolve o presidente do Brasil, cantada pelas deputadas do Bloco de Esquerda durante uma marcha do 25 de abril. A música foi cantada na presença de Catarina Martins, de Marisa Matias e de um deputado francês. O ditador António de Oliveira Salazar morreu em 1970.

Barclays passa de lucros a prejuízos e admite mais cortes de custos

Ainda segundo os resultados hoje conhecidos as receitas caíram 2% para 5,25 mil milhões de euros de libras (6,1 mil milhões de euros à taxa de câmbio atual), o que levou o banco a admitir que terá de reforçar o cortar custos se a queda de receitas persistirem no resto do ano.
Comentários