Venezuela: Ministério Público acusa Juan Guaidó de apropriação de ativos do país

O anúncio foi feito pelo procurador-geral Tarek William Saab, que em março disse ter 25 acusações acumuladas contra o líder opositor Juan Guaidó.

O Ministério Público da Venezuela iniciou uma investigação contra o líder opositor Juan Guaidó, que acusa de vários crimes, incluindo apropriação de ativos do país, nomeadamente da Monómeros, uma empresa venezuelana produtora de fertilizantes e químicos, sediada na Colômbia.

O anúncio foi feito pelo procurador-geral Tarek William Saab, que em março disse ter 25 acusações acumuladas contra o líder opositor Juan Guaidó.

“Caso Monómeros. O Ministério Público da Venezuela iniciou uma investigação contra Juan Guaidó por usurpação de funções, traição à pátria, furto qualificado de ativos e associação para cometer crimes”, escreveu Tarek William Saab na sua conta na rede social Twitter.

Juan Guaidó já respondeu ao anúncio, também através daquela rede social, garantindo que os ativos do país estão protegidos e acusando o procurador-geral de “fabricar” mais uma “acusação falsa” contra si.

“Desde 2019 que os ativos venezuelanos estão e continuarão a estar protegidos para que a ditadura não os continue a saquear, como aconteceu recentemente com a venda irregular de uma refinaria venezuelana na República Dominicana. Será que este personagem descobriu hoje e fabricou a décima falsa acusação contra mim?”, escreveu Juan Guaidó no Twitter.

Em março de 2021 o procurador-geral Tarek William Saab anunciou que o Ministério Público estava a investigar o líder opositor pelos crimes de sequestro de ativos no estrangeiro, usurpação de funções, corrupção, legitimação de capitais, instigação pública continuada a desobedecer a leis, malversação agravada, aproveitamento fraudulento de fundos públicos, conspiração com governos estrangeiros e terrorismo.

Recomendadas

Navalny nomeado para prémio dos direitos humanos do Parlamento Europeu

“É vital que nós, no Parlamento Europeu, afirmemos o nosso apoio implacável a Navalny e enfatizemos que o seu bem-estar é responsabilidade de Putin”, disse Peter van Dalen, legislador holandês de centro-direita da União Europeia sobre a nomeação do opositor do Kremlin que continua preso na Rússia.

“A Arte da Guerra”. “Acordo Indo-Pacífico? Estamos num tempo de desconfiança político-militar”

A parceria estratégica anunciada pelos EUA, Austrália e Reino Unido, criada para combater a China, foi um dos temas em análise no programa “A Arte da Guerra”, da plataforma multimédia JE TV, que conta com as reflexões do embaixador Francisco Seixas da Costa.

Alemanha: SPD avança com proposta de coligação para Verdes e liberais

Numa altura em que os social-democratas continuam a liderar a contagem dos votos, começa a desenhar-se o futuro dos germânicos. Entretanto, as ondas de choque das eleições mais atípicas de sempre vão-se fazendo sentir em todo o lado.
Comentários