Viaja de comboio? Prepare-se para mais uma greve

Desta vez, a greve no horizonte está agendada para a IP – Infraestruturas de Portugal, gestora das redes rodoviária e ferroviária nacionais, no próximo dia 12 de outubro.

Com a greve do pessoal das bilheteiras a decorrer durante o dia de hoje, dia 1 de outubro, causando graves transtornos aos passageiros apesar dos serviços mínimos decretados, já se avizinha nova paralisação no setor para a próxima semana.

Desta vez, a greve no horizonte está agendada para a IP – Infraestruturas de Portugal, gestora das redes rodoviária e ferroviária nacionais.

Os trabalhadores desta empresa pública agendaram uma greve para a sexta-feira da próxima semana, dia 12 de outubro.

O pré-aviso de greve foi entregue esta semana pela Fectrans, organização sindical da CGTP.

Segundo o ‘site’ especializado webrails.tv, de acordo com uma nota da referida plataforma sindical, “o conjunto de organizações sindicais que estão a negociar com o Governo e administração da IP, as relações de trabalho nesta empresa, face às posições de falta de resposta às questões centrais do processo negocial, decidiram entregar um pré-aviso de greve para o dia 12 de outubro próximo”.

Mais um episódio na relação tensa dos últimos meses entre os sindicatos do setor, a IP e tutela governamental do setor.

 

Ler mais
Relacionadas

CP falhou quase 500 comboios até às 14 horas

Dos 198 comboios operados pela CP até às 14 horas de hoje, 181 realizaram-se pela obrigação dos serviços mínimos impostos para fazer face aos impactos da greve marcada pelos trabalhadores das bilheteiras da empresa.

Administração da CP considera greve “despropositada”

Segundo a CP, “o processo de recrutamento de trabalhadores da carreira comercial está programado, e será concretizado de forma faseada”.
Recomendadas

“Desigualdade nas comissões bancárias não preocupa Provedoria de Justiça”, diz Deco

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) alerta que a  lei que proíbe a cobrança de comissões pelo processamento de prestações de crédito discrimina milhões de consumidores. Treze milhões de contratos de crédito ficam de fora das novas regras. Deco diz que denunciou esta desigualdade à Provedoria de Justiça, mas que não foi ouvida.

DECO junta-se ao REFIL para incentivar reutilização de embalagens

Apesar de já se encontrar previsto o comércio de bebidas em embalagens reutilizáveis e de produtos a granel, os consumidores ainda não beneficiam de um mercado que lhes permita adquirir, nestes moldes, produtos de limpeza e higiene pessoal, forçando-os a optar por novas embalagens e aumentando, assim, a sua produção de resíduos, colocando em causa as metas portuguesas da sustentabilidade.

Fim da isenção de ISV para ligeiros de mercadorias recebida com desagrado pela ACAP

A Associação Automóvel de Portugal recebeu com desagrado o fim da isenção do Imposto sobre Veículos de mercadorias a partir de julho, medida que aumentará os custos em cerca de 3 mil euros, apenas em ISV.
Comentários