Quer viajar seis meses pelo mundo com despesas pagas e 1.320 euros mensais?

YourBestLife é um programa de formação inovador, lançado esta terça-feira numa centena de países. Participantes ganham competências em várias áreas e recebem certificado final.

mundo

YourBestLife propõe aos candidatos uma viagem de seis meses à volta do mundo, em busca de desenvolvimento pessoal e profissional.

O processo de seleção deste programa de formação inovador, realizado pela empresa de recrutamento Randstad Portugal, visa apurar os sete participantes que vão experênciar atividades de lazer, voluntariado e formação numa viagem por dez países.

Costa Rica, Perú, África do Sul, Ilha Reunião, Índia, Butão, Myanmar, Indonésia, Irlanda e Portugal são esses países e foram escolhidos porque oferecem “uma visão global” aos níveis de localização, clima, cultura e desafios.

As inscrições estão abertas até novembro de 2019, procurando a organização participantes, com idades entre os 18 e os 35 anos, de diferentes perfis. “A abrangência dos perfis reforça o objetivo de abrir o programa a todo o público interessado em histórias e viagens, incluindo viajantes e não-viajantes”, justifica. Ainda assim, ajuda: ser viajante, novo-viajante, aventureiro, comunicador, contador de histórias, escritor de histórias e apoiante de causas sociais.

Todas as despesas da viagem, incluindo voos, alimentação, alojamento, seguros, formações e atividades, são garantidas pelo programa, que atribui igualmente 1.500 dólares, o equivalente a 1.320 euros, mensais a cada participante.

O programa é uma iniciativa da  start-up portuguesa que opera na área da acção social WeChangers,  com o apoio da  empresa de recrutamento e seleção Randstad e da multinacional japonesa Sony.

Ler mais
Recomendadas

De Edimburgo a Zurique: uma viagem pelas 24 cidades com os salários mais altos do mundo

De acordo com o relatório “Mapping the world’s prices”, do Deutsche Bank, estas são as 24 cidades com os salários mais elevados do mundo.

Vai levantar dinheiro numa caixa ATM? É melhor pensar duas vezes

Alguns consumidores levantam dinheiro nas ATM da rede Euronet e, mais tarde, percebem que pagaram comissões pela operação. Sim, isto é possível, mas tudo depende do cartão que está a usar. Saiba que cuidados deve ter.

Quantas notas são precisas para fazer ‘soar as campainhas’ de um banco?

Lei de combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo obriga os bancos a notificarem transferências potencialmente suspeitas. Perceba porque é que esta questão o pode implicar.
Comentários