Viatura que transportava Eduardo Cabrita na A6 “não sofreu qualquer despiste”, esclarece Governo

Em comunicado remetido às redações, o MAI realça o veículo envolvido no acidente “circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa”.

O carro que transportava o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e que esteve envolvido num acidente na autoestrada A6, do qual acabou por resultar uma morte por atropelamento, “não sofreu qualquer despiste”, garantiu este sábado o executivo.

Em comunicado remetido às redações, o MAI realça o veículo envolvido no acidente “circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa”.

Esclarece o Governo que este trabalhador, que acabou por ser a vítima mortal deste acidente, terá atravessado a faixa de rodagem, próxima do separador central, “apesar de os trabalhos de limpeza em curso estarem a decorrer na berma da autoestrada” e que “não havia qualquer sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos de limpeza em curso”.

Sobre outros pormenores, o MAI lembrou que está em curso uma investigação ao acidente, por parte do Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV) de Évora da GNR, escusando-se a prestar mais informações.

Em comunicado divulgado na sexta-feira, o MAI anunciou que uma pessoa tinha morrido atropelada na A6, num acidente envolvendo o carro que transportava o ministro Eduardo Cabrita.

“No regresso de uma deslocação oficial a Portalegre, a viatura que transportava o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, sofreu um acidente de viação, do qual resultou a morte, por atropelamento, de um cidadão, na autoestrada A6”, referia o mesmo comunicado.

Fonte do Comando Territorial de Évora da GNR revelou à agência Lusa, igualmente na sexta-feira, que a pessoa atropelada era um trabalhador, de 43 anos, que fazia a manutenção da via.

O acidente nesta autoestrada, que liga Marateca à fronteira do Caia, em Elvas (distrito de Portalegre), ocorreu “por volta das 13:00”, ao quilómetro 77, na zona do concelho de Évora, no sentido Évora – Lisboa, disse a mesma fonte.

Já o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora disse à Lusa, na sexta-feira, que o alerta para o acidente rodoviário foi dado aos bombeiros às 13:14 de sexta-feira.

O homem, trabalhador de uma empresa que realizava trabalhos de manutenção da via, ainda “foi assistido”, mas “acabou por falecer no local”, assinalou a mesma fonte do CDOS.

As operações de socorro mobilizaram 27 operacionais, apoiados por 12 veículos, incluindo meios dos bombeiros, GNR, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Brisa, concessionária da autoestrada.

Recomendadas

Squid Game. Sucesso sul-coreano da Netflix avaliado em 900 milhões de dólares

O thriller de nove episódios criado por Hwang Dong-hyuk custou 21,4 milhões de dólares (cerca de 20,78 milhões de euros) à produção e tornou-se no maior sucesso internacional da plataforma de streaming.

Profissionais do SNS têm 17 milhões de horas extra acumuladas

De acordo com o “JN”, os médicos, enfermeiros e assistentes operacionais fizeram entre de janeiro e outubro mais de 17 milhões de horas extra, o que representa uma aumento de seis milhões em relação a 2019.

Jovens são o grupo etário que apresenta a taxa de risco de pobreza mais elevada

A grande maioria destes jovens encontravam-se inseridos num contexto escolar em 2019, altura em que mais de 380 mil alunos do ensino público não superior tiveram apoio socioeconómico e 229 mil tiveram refeições subsidiadas pela ação social escolar.
Comentários