Vila Galé está a contratar 150 trabalhadores (com áudio)

Estes colaboradores terão descontos e ofertas em alojamento e serviços do grupo para si e para os seus familiares, bem como prémios anuais de produtividade e seguro de saúde após o primeiro ano de integração na empresa.

O grupo hoteleiro Vila Galé está a contratar 150 trabalhadores para reforçar as equipas dos 27 hotéis que detém em Portugal, adianta a empresa em comunicado.

Entre as vagas por preencher estão diferentes funções, como empregados de mesa, cozinheiros, copeiros, empregados de andares. Entre as vagas disponíveis estão também funções de liderança como assistentes de direção, chefes e subchefes de restaurantes e governantes.

Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador da Vila Galé, indica que “teremos todos os hotéis a funcionar em pleno este verão e estamos a apostar no reforço das equipas a nível nacional tanto com ofertas para quem procura emprego a tempo inteiro como em regime de part-time”.

Estes colaboradores terão descontos e ofertas em alojamento e serviços do grupo para si e para os seus familiares, bem como prémios anuais de produtividade e seguro de saúde após o primeiro ano de integração na empresa.

Além das ofertas, os colaboradores vão ter iniciativas de formação contínua, oportunidades de progressão na carreira, ofertas no aniversário, bónus de noites nos hotéis Vila Galé consoante a antiguidade na companhia e hipótese de mobilidade entre os hotéis da cadeia entre Portugal e Brasil.

Pode verificar as funções disponíveis no site do Vila Galé.

Recomendadas

Os caminhos da recuperação empresarial

Com a perspetiva do aumento das insolvências, vários mecanismos visam a celeridade e eficiência na recuperação de empresas.

Via extrajudicial continua sem ter interessados

O RERE foi criado como alternativa à vida judicial, mas não tem tido a adesão empresas. Associação de mediadores diz que falta informação.

BES: Pareceres atribuem prejuízos da recompra de obrigações à administração que sucedeu a Salgado

Dois pareceres juntos pela defesa de Ricardo Salgado no processo do Eurofin atribuem à gestão que lhe sucedeu a responsabilidade pelos prejuízos gerados pela recompra das obrigações BES e que levaram à sua condenação pelo supervisor.
Comentários