Vista Alegre conclui aumento de capital com procura de 147% da oferta

O aumento de capital foi realizado através de um processo de accelerated bookbuilding, tendo a VAA garantido um encaixe de 15,24 milhões de euros. Esta operação surge dias depois da Vista Alegre ter concluído uma emissão obrigacionista, que lhe permitiu pagar empréstimos à banca.

A Vista Alegre Atlantis (VAA) concluiu hoje um aumento de capital, tendo encaixado cerca de 15 milhões de euros e registando uma procura de 146,6%, e fixou o preço das novas ações em um euro, de acordo com um comunicado.

“Tendo-se registado uma procura total que representou cerca de 146,6% do montante da oferta, o aumento de capital social no montante de 12.192.731,20 euros foi integralmente subscrito, pelo que o capital social da Vista Alegre passará de 121.927.316,80 euros para 134.120.040,00 euros, com a emissão de 15.240.914 novas ações ordinárias, escriturais e nominativas, com valor nominal unitário de 0,80 euros”, avançou o grupo em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O preço da colocação foi mais baixo do intervalo a que a Vista Alegre admitiu alienar as ações (entre 1 e 1,15 euros).

A VAA revelou que o “preço final por cada nova ação foi fixado em 1,00 euro, a que corresponde um encaixe bruto de cerca de 15.240.914,00 euros dos quais 12.192.731,20 euros a título de valor nominal e 3.048.182,80 euros a título de prémio de emissão”.

Esta operação foi destinada a investidores institucionais. A realização deste aumento de capital tem como objetivo “contribuir para a diversificação da base acionista da sociedade”, bem como para conseguir a “otimização de fontes de financiamento e o reforço do balanço e dos capitais próprios da Vista Alegre” diz o comunicado que adianta que a liquidação da oferta deverá ocorrer em 10 de dezembro de 2019.

A VAA irá pedir à Euronext Lisbon a admissão das novas ações à negociação no mercado regulamentado Euronext Lisbon, “prevendo-se que a mesma ocorra tão brevemente quanto possível após o registo comercial do aumento de capital, isto é, no dia 13 de dezembro de 2019 ou em data próxima”, lê-se na mesma nota.

Na quarta-feira a CMVM decidiu suspender a negociação das ações da VAA, que anunciou a operação nesse dia. Mas hoje a CMVM levantou a suspensão da negociação das ações VAA – Vista Alegre Atlantis.

Esta sexta-feira realiza-se a sessão especial de bolsa para a apresentação dos resultados do aumento de capital da empresa liderada por Nuno Marques.

No ano passado a Vista Alegre retirou uma operação de aumento de capital. A empresa detida pela Visabeira pretendia colocar em bolsa mais de 21 milhões de títulos, mas não foi bem-sucedida, acabando por deixar cair a operação. As condições de mercado justificaram o insucesso na oferta. Esta operação iria render cerca de 17 milhões de euros.

Em outubro deste ano, a empresa realizou uma emissão obrigacionista de 50 milhões de euros, que lhe permitiu pagar uma dívida de cerca de 40 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos e ao BCP. Estas dívidas à banca impediam a Vista Alegre de pagar dividendos pelo que a expectativa é que volte a remunerar os acionistas.

Ler mais
Recomendadas

Hoje às 15h, saiba como responder aos desafios da pandemia (parte 2)

Assista hoje à segunda parte do webinar sobre os desafios levantados pela pandemia do novo coronavírus, em direto, às 15h.

Lei das moratórias dá opção aos mutuários de só suspenderem o capital sem capitalizar os juros

As prestações ao banco vão subir para quem recorrer à moratória pública aprovada pelo Governo. Mas o documento dá a opção de o cliente só suspender o reembolso de capital continuando a pagar os juros, para não subir a prestação ao fim de seis meses.

Pedido de adesão ao ‘lay-off’ dos trabalhadores da TAP ainda não deu entrada na tutela

O JE sabe que a administração da TAP disse aos sindicatos que está a considerar aderir ao regime de ‘lay-off’ numa reunião, esta segunda-feira, e que o pedido ainda não deu entrada no Ministério das Infraestruturas e Habitação.
Comentários