Vista Alegre reduz a sua dívida líquida em 2,1 milhões de euros em 2020

O valor reportado da dívida da empresa inclui 18,6 milhões de euros na forma de incentivos ao investimento, com 9,2 milhões convertíveis em prémio, o que compara com os 8,5 verificados no final do ano anterior.

A Vista Alegre viu a sua dívida líquida recuar 2,9 milhões de euros em 2020 para os 89 milhões de euros, conforme reportou a empresa à Comissão do Mercado e Valores Mobiliários (CMVM) esta terça-feira.

A fábrica de porcelana portuguesa fez saber que a dívida líquida consolidada recuou apesar do aumento da dívida consolidada, que cresceu 948 mil euros. O valor reportado da dívida da empresa inclui 18,6 milhões de euros na forma de incentivos ao investimento, com 9,2 milhões convertíveis em prémio, o que compara com os 8,5 verificados no final do ano anterior. Assim, a dívida líquida consolidada após a conversão dos prémios recuou ainda mais, registando uma variação negativa de 2,9 milhões de euros entre 2019 e 2020.

Adicionalmente, as disponibilidades da Vista Alegre atingiram os 17,6 milhões de euros a 31 de Dezembro de 2020, o que representa mais 3,1 milhões de euros face ao ano anterior.

O grupo afirma ainda que, ainda que a sua situação de liquidez se encontre sólida e robusta, se candidatou a um reforço da mesma através das Linhas de Apoio à Economia Covid-19 Empresas Exportadoras, as quais poderão representar dois acréscimos de 7,6 milhões e 3 milhões de euros direcionados para o investimento na empresa.

 

Recomendadas

Sonae reforça posição na Sonae Sierra ao comprar 10% do capital desta à Grosvenor

O grupo com sede na Maia passa assim a deter 80% da Sonae Sierra, depois de adquirir 10% por uns estimados 82,16 milhões de euros à Grosvenor.

CEO do Goldman Sachs anuncia investimento de 156 mil milhões de dólares na sustentabilidade

David Solomon, presidente e CEO da Goldman Sachs, anunciou o progresso anual rumo ao compromisso do banco norte-americano em termos de Sustainable Finance Commitment. O banco norte-americano quer que os EUA regressem ao Acordo de Paris.

Administração da Semapa diz que preço da OPA da Sodim é o adequado

A administração da Semapa considera a OPA oportuna e o preço de 11,40 euros, bem como as restantes condições, são as adequadas.  A Semapa também diz que a OPA não prevê a necessidade de proceder a alterações às condições atuais dos trabalhadores e que o perfil de risco de crédito da empresa não será alterado.
Comentários