Vítor Bento diz que o crescimento económico vai desacelerar na próxima década

O economista lembrou a instabilidade fiscal e os impostos especiais sobre lucros que “estão a desincentivar a acumulação de capital e o investimento e nós precisamos de aumentar o capital para aumentar a produtividade, logo essa política não favorece o aumento de salários. Essa hostilidade ao capital é a promoção da política de salários baixos”.

O economista Vítor Bento em entrevista à Antena 1/Jornal de Negócios diz que “o crescimento vai desacelerar, pela exaustão de recursos (estamos a atingir o pleno emprego) e porque seria necessário um aumento do investimento e do crescimento da produtividade, que não vai acontecer”. Na próxima década, segundo Vítor Bento, Portugal deverá crescer em média 1,5%.

O economista considera ainda que “a retórica anticapitalista também não ajuda ao crescimento”. Aliás, adianta que “a hostilidade aos lucros elevados, favorece a existência de salários baixos”.

O economista lembrou a instabilidade fiscal e os impostos especiais sobre lucros que “estão a desincentivar a acumulação de capital e o investimento e nós precisamos de aumentar o capital para aumentar a produtividade, logo essa política não favorece o aumento de salários. Essa hostilidade ao capital é a promoção da política de salários baixos”.

“Portugal beneficia de uma situação de taxas de juro muito baixas mas se esticarmos a corda vamos acabar num resgate”, alerta Vítor Bento.

O economista considera que refere que “a deterioração dos serviços públicos é resultado de opções que têm sido tomadas por este Governo, ao longo desta legislatura, na afetação dos escassos recursos e não de um passado que o governo insiste em referir”.

“Não faz sentido o Governo continuar a culpar o passado”, defende. Aliás, considera que “um Governo que esgota a legislatura a reclamar irresponsabilidade, não pode apelar ao voto”.

 

Ler mais
Recomendadas

easyJet estabelece acordo de ‘code share’ com Cathay Pacific

Com o acordo hoje, dia 21 de janeiro, anunciado, a partir das próximas semanas, os clientes da easyJet poderão voar para Hong Kong a partir do aeroporto de Gatwick (Londres).

Governo já sabia de irregularidades na CGD? Se sim, “é grave”, aponta Rui Rio

“Eu não quero acreditar que, no quadro de todos aqueles valores que ali estão, possa ter sido tudo concedido, todo aquele crédito possa ter sido concedido de uma forma clara e limpa, que não mereça uma investigação”, disse Rui Rio aos jornalistas, na sede nacional do partido, em Lisboa.

Custa 336 euros e garante alimentação para um mês. Esta é a ‘Brexit box’

Concebido e comercializado pela empresa Emergency Food Storage, o pacote inclui 60 receitas que podem ser consumidas nos próximos 25 anos
Comentários