Wall Street no ‘vermelho’ com entrada em vigor das novas tarifas às importações chinesas

Esta sexta-feira os investidores estão atentos à chegada da Uber à Bolsa de Nova Iorque

Reuters

Os mercados norte-americanos abriram a sessão desta sexta-feira, 10 de maio, em terreno negativo, no dia em que entraram em vigor as novas taxas alfandegárias dos Estados Unidos da América (EUA) às importações da China. Os três principais índices de Wall Street estão pintados de ‘vermelho’.

Numa altura em que os investidores estão sobretudo de atenções voltadas para a estreia da Uber na bolsa de Nova Iorque, o Dow Jones recua 0,39% (para os 25.726,78 pontos). Na mesma linha, o alargado S&P 500 perde 0,43% (para os 2.858,45 pontos) e o tecnológico Nasdaq desliza 0,39% (para os 7.879,61 pontos). Também o Russell 2000 desvaloriza, para os 1.563,06 pontos.

“A incerteza em torno das negociações entre as duas maiores economias do mundo continua a condicionar o mercado. Nos EUA entraram hoje em vigor taxas adicionais sobre a importação de produtos chineses e na esperança das duas nações alcançarem um acordo, Trump disse não haver pressa nesse entendimento”, explica Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp. Numa nota de mercado divulgada esta tarde, o analista destaca estão ainda os números da Marriott, da JD.com e da Booking.com.

Quanto ao petróleo, a cotação do barril de Brent está a somar 0,23%, para 70,55 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desce os ligeiros 0,o2%, para 61,69 dólares por barril. No mercado cambial, nota para a apreciação de 0,21% do euro face ao dólar (1,1244) e para a valorização de 0,12% da libra perante a divisa dos Estados Unidos (1,1244).

O presidente norte-americano anunciou este domingo que, a partir de hoje, iria subir de 10% até 25% as tarifas alfandegárias de importações de produtos chineses, avaliadas em 200 mil milhões de dólares (cerca de 179 mil milhões de euros). Através da rede social Twitter, Donald Trump apresentou o argumento de que as conversações entre as duas potências estavam “muito lentas”. No dia seguinte, as bolsas ficaram pressionadas com a decisão e o governo chinês ponderou até cancelar o encontro que tinha agendado em Washington.

Notícia atualizada às 15h05

Ler mais

Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Sexta sessão em queda. Bolsa de Lisboa penalizada por perdas do BCP e Galp

Num quadro pintado de encarnado, a EDP Renováveis e a Sonae sobressaíram pela positiva, ao subirem ambas cerca 0,20%. Nas restantes praças europeias, igualmente pessimistas, destacam-se as transações de M&A da banca espanhola – desta feita, entre o Unicaja e o Liberbank.

Depois das fortes quedas de quarta-feira, Wall Street abre em baixa

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.
Comentários