Wall Street abre em alta com sinais de abrandamento da inflação norte-americana

O Departamento do Trabalho norte-americano revelou esta tarde que o Índice de Preços no Consumidor (IPC) nos Estados Unidos subiu 0,3% no mês passado, o que amainou os receios de que a inflação forçará a Fed a reduzir mais rapidamente os estímulos.

Brendan McDermid / Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta terça-feira em terreno positivo, depois de ser divulgado que houve uma desaceleração dos preços nos Estados Unidos em agosto, o que amainou os receios de que a inflação forçará a Reserva Federal (Fed) a reduzir mais rapidamente os estímulos.

O Departamento do Trabalho norte-americano revelou esta tarde que o Índice de Preços no Consumidor (IPC) subiu 0,3% no mês passado,

Wall Street começa com o índice industrial Dow Jones a subir 0,27% para 34.962,10 pontos, o Standard & Poor’s (S&P) 50o a ganhar 0,37% para 4.485,25 pontos e o tecnológico Nasdaq a avançar 0,38% para 15.163,70 pontos. Por sua vez, o Russel 2000 valoriza 0,39% para 2.247,20 pontos.

As ações da Apple estão a valorizar 0,63% para 150,49 dólares poucas horas antes do evento de lançamentos da marca, onde se espera a apresentação das novas versões do iPhone (13), AirPods e Apple Watch.

O preço do ‘ouro negro’ está a subir com as previsões de que outro furacão atingiu a costa do Golfo dos Estados Unidos. O preço do WTI, produzido no Texas, sobe 0,74% para os 70,97 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent está a valorizar 0,80% para os 74,10 dólares.

“As perspetivas meteorológicas começam a ter impacto nos preços do gás natural e podem também começar a influenciar os preços do petróleo. Os investidores longos em petróleo não parecem estar preocupados com as previsões que apontavam para uma redução da procura por parte da OPEP. Isto cria uma base para parar os aumentos da produção da OPEP+, o que deverá ter um impacto positivo nos preços a médio prazo”, explica Henrique Tomé, analista da XTB, em research.

Quanto ao mercado cambial, o euro está a subir 0,32% face ao dólar, para os 1,1842 dólares, enquanto a libra esterlina está a ganhar 0,50% face à moeda dos Estados Unidos, para os 1,3906 dólares.

Já ontem “nem as novas pressões regulatórias na China, nem os possíveis atrasos no pacote de estímulos americano nem o lançamento de misseis na Coreia do Norte conseguiram travar o avanço das bolsas”, destacaram os analistas do Bankinter, numa nota de mercado.

Recomendadas

BCP sobe mais de 4% ao fecho depois de anunciar emissão de dívida sustentável

O banco liderado por Miguel Maya seguiu o exemplo da Caixa Geral de Depósitos e está agora no mercado a preparar uma emissão de dívida sustentável, tendo já mandatado o Barclays, o Credit Agricole CIB, o JP Morgan, o Millennium BCP, o Natixis e o UniCredit como ‘joint bookrunners’ para organizar uma série de reuniões de investidores na Europa a partir de hoje.

Presidente do BCE reitera que aumento da inflação na zona euro é temporário

“O nosso cenário de base continua a esperar que a inflação se mantenha abaixo do nosso objetivo a médio prazo”, disse Christine Lagarde, num debate com a comissão dos Assuntos Económicos do Parlamento Europeu (PE) numa referência ao novo objetivo do BCE de uma taxa de inflação anual de 2%.

Tecnológicas castigam Wall Street no início da semana

A Alphabet arranca a sessão a cair 0,87%, a Microsoft desvaloriza 1,82%, a Amazon tomba 2,20%, o Facebook desce 1,32% e a Apple deprecia 2,03%.
Comentários