Wall Street abre em alta na véspera da tomada de posse de Biden

Plano de estímulos económicos de Joe Biden e discurso da futura secretária de Estado do Tesouro norte-americano animam a bolsa de Nova Iorque.

Andrew Kelly/Reuters

A bolsa de Nova Iorque iniciou a sessão desta terça-feira em alta quando faltam menos de vinte e quatro horas para a tomada de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos. Mas o sentimento do mercado está a ser impulsionado pelo discurso de um membro da administração de Joe Biden.

Janet Yellen, que será a secretária do Tesouro norte-americana de Joe Biden enalteceu esta terça-feira que os Estados Unidos têm de aproveitar o contexto de taxas de juro historicamente baixas para estimular a economia e “agir em grande”, dando um sinal ao mercado que a nova administração vai dar um forte apoio à economia.

Joe Biden já tinha apresentado o pacote de estímulos económicos no valor de 1,9 biliões de dólares na semana passada e que foi esta manhã abordado por Yellen perante o Senado.

Logo após o toque do sino de abertura da sessão em Wall Street, o industrial Dow Jones subia 0,24%, para 30.887,42 pontos; o S&P 500 ganhava 0,68%, para 3.793,80 pontos; e o tecnológico Nasdaq avançava 0,95%, para 13.122,04 pontos.

O mercado também está a reagir de forma positiva aos resultados da banca, com o Bank of America e o Goldman Sachs a superarem as expectativas no quatro trimestre.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está em alta. Em Londres, o Brent avança 1,66%, para 55,66 dólares e, em Nova Iorque, o WTI ganha 0,74%, para 52,81 dólares.

EUA têm de “agir em grande” com novo pacote de estímulos, sublinha Janet Yellen

Ler mais

Relacionadas

Hoje não se negoceia em Wall Street: é dia de Martin Luther King Jr.

Martin Luther King Jr. deixou um legado importante e inter-geracional num país que sofre com problemas sociais, como o racismo. Eternizado pelo discurso “I have a dream”, este ativista marcou gerações com o movimento que defendia a igualdade racial.

PremiumAções e ‘commodities’ em máximos

Os três principais índices de Wall Street registam consecutivos máximos históricos, reflexo do novo pacote de estímulos de Biden e das expetativas de recuperação espelhadas na forte procura de matérias-primas.

Wall Street fecha semana no vermelho empurrada por quedas na banca

Os principais índices norte-americanos caíram na última sessão da semana, apesar do anúncio de Joe Biden do pacote de estímulos que quer ver aprovado. Os resultados da banca, que, apesar de longe de ideais, até foram melhores do que esperado, puxaram para baixo Wall Street.
Recomendadas

Coursera prepara-se para entrar em bolsa. Confinamento fez disparar vendas de cursos online

As receitas da empresa de tecnologia educacional dispararam 59% para cerca de 246,3 milhões de euros no ano passado, perante as necessidades de requalificação dos trabalhadores e o tempo (mais) livre para formações em casa.

PremiumAções recuam com ‘rally’ dos juros da dívida

Nas últimas semanas, os mercados acionistas mundiais colocaram em pausa os ganhos devido à subida dos rendimentos das obrigações.

Secretária do Tesouro norte-americano descarta preocupações com a inflação

“Não vejo que os mercados estejam à espera de que a inflação suba acima da meta de 2% que a Fed tem como taxa média de inflação no longo prazo”, explicou Janet Yellen em entrevista ao programa televisivo “PBS Newshour”.
Comentários