Wall street encerra com Nadaq em queda

O adiamento da produção de carros da Tesla na Alemanha foi um dos motivos pela qual o Nasdaq encerrou a sessão de segunda-feira a vermelho.

A bolsa de Nova Iorque encerrou mista, esta segunda-feira, com o tecnológico Nasdaq a sofrer um grande golpe e a fechar a vermelho.

O S&P 500 fechou a subir 0,31%, para 4.194,00 pontos, o industrial Doe Jones registou o maior avanço, de 0,70% para 34.113,23 pontos. Com o Nasdaq aconteceu o oposto, tendo recuado 0,48% para 13.895,12 pontos.

Em relação ao momento de abertura, o S&P 500 recuou 0,24% e o Dow Jones somou 0,11%. O tecnológico Nasdaq perdeu 0,95%.

O crescimento do Doe Jones foi impulsionado pelo entusiasmo em torno das vacinas. Apesar de a Dinamarca ter rejeitado a vacina da Johnson & Johnson isso parece não ter tido efeito nos mercados, sendo que a empresa americana encerrou a sessão de segunda-feira com um aumento de 1,54% para 165,24 dólares. A Pfizer avançou 3,05% para 39,83 dólares.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou esta segunda-feira ter começado a avaliar a administração da vacina da Pfizer/BioNTech anticovid-19 para jovens dos 12 aos 15 anos. Além da recente avaliação, na semana passada a Pfizer introduziu uma novidade na empresa: um medicamento a ser desenvolvido que visa travar o desenvolvimento da Covid-19 nos pacientes.

O Nasdaq não acompanhou o sucesso do Dow Jones. Para a sua queda contribuiu a descida em bolsa da Tesla que adiou a produção de carros na Alemanha. A empresa de Elon Musk, que na semana passada revelou lucros recorde, fechou Wall Street a diminuir 3,49% para 684,90 dólares.

Além da Tesla também o Facebook entrou em declínio e terminou a sessão a recuar 0,77% para 322,58 dólares. O Twitter fechou igualmente a vermelho a descer 1,16% para 54,58 dólares.

 

 

 

Ler mais

Recomendadas

SIC avança com nova emissão de obrigações no valor de 30 milhões com juro mais baixo

A empresa do grupo Impresa diz que se trata de uma oferta pública de troca parcial e voluntária de um milhão de obrigações com um valor unitário de 30 euros. 

Wall Street não resiste à pressão das ‘big tech’ e encerra em queda

Entre as praças que negoceiam em Nova Iorque, o Nasdaq 100 regista a maior perda, desvalorizando 0,72% para 13,217.68 pontos enquanto que o Composite cai 0,56% para 13,303.64 pontos.

PSI 20 renova máximos em pandemia à boleia dos resultados do BCP

O PSI 20 estabeleceu novos máximos em tempo de pandemia, com o BCP e a EDP Renováveis a impulsionarem o índice lisboeta num dia em que, apesar dos ganhos generalizados na Europa, alguns dos principais índices fecharam no vermelho.
Comentários