Wall Street fecha em alta com acordo na guerra comercial

Os EUA irão retirar progressivamente as tarifas sobre as exportações chinesas e a China irá adquirir mais exportações americanas. A China confirmou o acordo com os EUA.

Brendan McDermid / Reuters

O Dow Jones encerrou a subir 0,01% para 28.135,38 pontos, o S&P 500 avançou também 0,01% para 3.168,80 pontos, após marcar durante o dia o valor mais alto de sempre, nos 3.182,68 pontos. Já o tecnológico Nasdaq Composite também fechou a valorizar 0,20% para 8.734,88 pontos. Durante a sessão estabeleceu um novo recorde nos 8.768,87 pontos.

A bolsa dos EUA reagiu assim à aprovação do presidente americano da fase 1 do acordo comercial parcial entre EUA e China e por conseguinte da eliminação das tarifas adicionais a produtos chineses, cuja entrada em vigor estava prevista para 15 de dezembro. Estas notícias trouxeram otimismo aos investidores.

A China confirmou que chegou a um acordo comercial de fase um com os Estados Unidos, depois dos media norte-americanos terem revelado na quinta-feira um pacto entre as duas primeiras economias do mundo.

O facto de o acordo EUA China não ter revertido tarifas aplicadas anteriormente, algo que poderá vir a ocorrer somente de forma faseada, poderá ter refreado os ânimos dos investidores.

Os últimos dados das vendas a retalho nos EUA revela que ficaram aquém do esperado. As vendas a retalho que afetam diretamente o cálculo do PIB, recuperaram 0,1% em novembro, abaixo dos 0,3% esperados. E as vendas totais no retalho aumentaram 0,2%, também abaixo dos 0,5% previstos.

Noutros mercados, o petróleo do West Texas sobe 1,3%, para 60 dólares. Além disso, o euro valoriza 0,3% e passa para 1,113 dólares.

 

 

 

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de Lisboa em queda com deslize da Galp. Europa encerra em baixa

Os resultados do UBS e o vírus da China que penalizaram o sentimento dos investidores nas bolsas europeias, dizem os analistas. Por cá a Galp foi afetada pela queda do price-target da Morgan Stanley. Já o BCP conseguiu fechar em terreno positivo.

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street em baixa e ressente-se do novo vírus da China

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou que coronavírus é transmissível entre humanos, tendo o vírus chegado aos maiores centros urbanos chineses, incluindo a capital, Pequim, a cidade de Shanghai. A situação está a ter impacto particularmente nos títulos das companhias aéreas e nos operadores de casinos e hóteis norte-americanos. Previsões do Fundo Monetário Internacional sobre o crescimento da economia mundial e nos Estados Unidos também estão a pesar no sentimento dos investidores.
Comentários