Warren Buffett abandona Fundação Bill e Melinda Gates, onde deixou metade da fortuna

O investidor anunciou ainda uma doação de 4,1 mil milhões de dólares em ações da Berkshire à Fundação Gates e a quatro instituições de caridade. Esta faz parte da sua promessa em doar 99% do seu património líquido a instituições que querem mudar o mundo, erradicando a pobreza e doenças.

Carlos Barria/Reuters

O investidor multimilionário Warren Buffett revelou esta quarta-feira que se demite do cargo de administrador da Fundação Bill e Melinda Gates, onde investiu metade da sua fortuna nos últimos 15 anos, revela a “Reuters”.

Num comunicado a que a publicação teve acesso, o Oráculo de Omaha admitiu que desde o início da fundação que tem sido um “administrador inativo” mas que sempre apoiou o presidente Mark Suzman e que as metas dos dois lados estavam “100% sincronizadas” desde o início dos tempos.

Buffett, um dos melhores amigos de Bill Gates, não revelou o motivo que o levou a renunciar ao cargo mas admitiu no comunicado que estava a abandonar todas as áreas em que trabalhava fora da Berkshire Hathaway. A saída de Buffett, que soma 90 anos de idade, acontece semanas depois do casal Gates anunciar publicamente o divórcio.

O investidor anunciou ainda uma doação de 4,1 mil milhões de dólares em ações da Berkshire à Fundação Gates e a quatro instituições de caridade. Esta faz parte da sua promessa em doar 99% do seu património líquido a instituições que querem mudar o mundo.

Desde 2006, Buffett doou mais de 41,5 mil milhões de dólares em ações da Berkshire, sendo que mais de 32,7 mil milhões tiveram como destino a Fundação Gates. Com a atualização de preços devido à inflação, as doações do Oráculo já ascenderam a 100 mil milhões de dólares. “Ao longo de muitas décadas, acumulei uma soma quase incompreensível [de dinheiro], simplesmente por fazer o que adoro fazer”, apontou Buffett em comunicado. “A sociedade tem uso para o meu dinheiro, eu não”, continuou o investidor.

Bill Gates agradeceu a “amizade duradoura” que tem nutrido com Buffett, enunciando que “vamos ter sempre um profundo senso de responsabilidade” para com o investidor, enquanto Melinda French Gates apontou que os ensinamentos do Oráculo os ajudaram a “traçar um caminho para a frente”.

Além da Fundação Gates, as doações vão também para a Fundação Susan Thompson Buffett, criada em homenagem à sua falecida esposa, e as instituições geridas pelos seus filhos, a Howard G. Buffett Foundation, a Sherwood Foundation e a Novo Foundation.

De acordo com as contas da “Reuters”, se o Oráculo de Omaha não tivesse realizado as doações para instituições de caridade, a sua fortuna seria praticamente igual à do fundador da Amazon, atualmente a pessoa mais rica do mundo.

Recomendadas

Contactos entre Nações Unidas e Maputo estão a decorrer, diz Santos Silva

O chefe da diplomacia portuguesa confirmou hoje, sexta-feira, que estão a decorrer contactos entre o Escritório das Nações Unidas Contra o Terrorismo e as autoridades de Maputo sobre a situação em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Primeiro-ministro israelita e príncipe herdeiro dos Emirados marcam encontro

Naftali Bennett falou com Mohammed Bin Zayed al Nahyan e os líderes concordam num encontro no futuro – no que pode ser mais um importante acontecimento no âmbito da normalização das relações entre o Estado hebraico e o mundo islâmico. Marrocos vem a seguir.

CPLP: Acordo de Mobilidade vai ao Parlamento “nas primeiras semanas de setembro”

O novo Acordo de Mobilidade assinado no passado fim-de-semana na cimeira da CPLP em Luanda vai ser apresentado para ratificação por parte de Portugal o mais brevemente possível, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.
Comentários