Web Summit: Allianz antecipa consolidação tecnológica nos seguros

Apesar do otimismo em relação à digitalização no setor, a CEO da Allianz Technology reconheceu que o momento é ainda de incerteza, nomeadamente no que diz respeito a lucros e mão de obra.

Apesar de ser visto como tradicional, o setor segurador será obrigado a adaptar-se à revolução digital, segundo a CEO da Allianz Technology. Num painel na Web Summit, Barbara Karuth-Zelle afirmou que o fator disruptivo tem impacto nos lucros das seguradoras e defendeu que o caminho é a colaboração com startups.

“Usamos robótica para automatizar os nossos processos e queremos trazer a digitalização para os nossos clientes”, explicou a responsável da unidade criada em 2016 para se focar especificamente nos desenvolvimentos tecnológicos para o setor segurador.

“O que estamos também a fazer é trabalhar de forma muito próxima com startups. De facto, está provado que as startups que colocaram [com grandes players] têm melhores taxas de crescimento que as que não o fazem”, referiu Karuth-Zelle.

Apesar do otimismo em relação à digitalização no setor, a CEO da Allianz Technology reconheceu que o momento é ainda de incerteza.

Por um lado, defendeu que afeta a rentabilidade empresarial. Questionada sobre se alguma grande seguradora poderá falir devido aos desafios tecnológicos, Karuth-Zelle respondeu: “Não devemos dizer nunca, mas penso que os próximos anos serão de consolidação”.

Por outro, admitiu que implica uma redução dos trabalhadores que não sejam reconduzidos. “Mas essa é uma questão que todos temos de pensar enquanto sociedade”, acrescentou.

Ler mais
Relacionadas

Seguradores: “Em muitas empresas não há o hábito de investir em prevenção”, sublinha Generali

Há novos e emergentes riscos para os seguradores. O cyber insurance é um deles e apenas as empresas de maior dimensão ou com o maior desenvolvimento tecnológico estão sensíveis para as estas matérias. O testemunho de Luis Galrão, Risk Prevention Manager da Generali.

Um em cada dez investidores institucionais já usa Inteligência Artificial

“É tentador assumir que a rapidez, eficiência e os menores atritos criam mercados mais precisos e seguros, mas este não é necessariamente o caso. Em muitos casos as ineficiências simplesmente aumentam”, alertou Paras Anand, diretor de gestão de ativos da Ásia na Fidelity International.

Inovação tecnológica desafia regulação e supervisão financeira

A ASF, o Banco de Portugal e a CMVM estabeleceram uma parceria com a Portugal Fintech, para a criação de um laboratório de inovação financeira.
Recomendadas

BCP com “vontade” de devolver já este ano aos trabalhadores salários cortados

“É essa a minha vontade”, disse Miguel Maya aos jornalistas, à margem da assinatura de um protocolo no Ministério da Economia, em Lisboa, para financiamento às empresas, quando questionado sobre se este ano o banco irá começar a devolver aos trabalhadores parte dos salários retidos entre 2014 e 2017.

Rendimentos mensais dos angolanos limitam acesso a divisas

A obtenção de 8.000 euros por viagem, fixados pelo Banco Nacional de Angola, depende dos rendimentos mensais de cada cliente domiciliados nos bancos comerciais.

Goldman Sachs: Ricos devem gastar mais dinheiro para não prejudicar economia dos EUA

O economista do banco de investimento Daan Struyven considera que o efeito da riqueza pode impactar o crescimento do PIB norte-americano em 0,5 pontos percentuais.
Comentários