Web Summit e meia maratona entre as datas mais rentáveis para o Airbnb em Lisboa

O grupo de gestão de propriedades GuestReady, que foi considerado uma das “25 Startups para 2019” pela Phocuswire e Voyager HQ,“toma conta” de 200 casas em Portugal. A empresa britânica concluiu que durante a cimeira tecnológica o rendimento por unidade de AL disponível foi de 73 euros diários.

Cristina Bernardo

A empresa britânica GuestReady, que gere mais de 200 propriedades em Portugal, fez as contas e concluiu que a Web Summit, a Meia Maratona de Lisboa e o NOS Alive foram os três períodos mais rentáveis para o Alojamento Local (AL) em Airbnb na capital portuguesa.  Segundo uma análise da gestora de imóveis para arrendamento de curta-duração, os eventos de tecnologia, desporto e cultura têm ganho destaque entre as motivações daqueles que se fixam, temporariamente, em Lisboa.

Na altura da cimeira tecnológica, o RevPar (rendimento por unidade de AL disponível) foi de 73 euros por dia, o número médio de noites reservadas foram cinco e, em média, as reservas foram realizadas com 39 dias de antecedência. Ou seja, permite aos anfitriões ganharem mais 62% durante esta semana do início de novembro em comparação com outra semana qualquer desse mês.

No dia da meia maratona, que se realiza a 22 de março de 2020, o RevPar tende a ser de 60 euros diários, o número médio de noites reservadas sete e, em média, as reservas são feitas 44 dias antes. Nessa semana, os donos conseguem lucrar mais 13% – a mesma percentagem que os proprietários lucram aquando do festival de música NOS Alive, que este ano acontece entre os dias 9 e 12 de julho.

“Os eventos são uma ótima forma dos anfitriões estarem a par da procura turística na cidade”, defende Vanessa Vizinha, diretora-geral da GuestReady Portugal.

A empresa, que foi considerada ma das “Hot 25 Startups para 2019″ pela Phocuswire e Voyager HQ e ocupa o 9º lugar do “Startup 100 Ranking”, concluiu ainda que os proprietários podem, assim, ganhar mais de 20% todos os anos, o que significa um montante extraordinário na ordem dos 3 milhões de euros.

A taxa de ocupação de AL em Lisboa é de 72%, com um rendimento por unidade disponível de 61 euros. “Ao saber as datas-chave em que os visitantes estão a reservar em Lisboa, podem otimizar os preços e promover a propriedade da melhor forma, garantindo assim uma boa taxa de ocupação”, explica a responsável da GuestReady, com base nos dados da AirDNA.

GuestReady gere alojamentos no valor de 51 milhões em Portugal

Britânica GuestReady compra startup portuguesa Oporto City Flats

Ler mais
Recomendadas

Gestora de alojamento local supera 30 mil hóspedes em Portugal

A GuestReady entrou no mercado português no final de 2018 já registou um total de 315 propriedades geridas, tendo ajudado 205 proprietários no país a rentabilizar os seus imóveis.

‘Vistos Gold’: Retirar Lisboa e Porto é “sinal negativo para investidores”, diz APEMIP

A medida apresentada pelo PS foi rejeitada pela associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal que considera que a medida vai no sentido de tentar travar a procura no mercado, em vez de promover o aumento da oferta.

Avaliação das casas sobe para 1.321 euros/m2 em dezembro e fixa novo recorde

Este valor representa um aumento de nove euros face ao mês anterior. O valor médio da avaliação anual situou-se nos 1.286 euros/m2 , representando um crescimento de 7,9% relativamente ao ano anterior.
Comentários