Anúncios de vendas de carros em parques ou zonas de estacionamento pode levar a coimas até 300 euros

Os carros que estão em estacionamentos públicos ou outras zonas que estejam sob a jurisdição municipal não podem conter anúncios de vendas.

Sabia que os carros não podem estar à venda em parques ou zonas de estacionamento? Podem ser aplicadas coimas entre 60 a 300 euros.

Os carros que estão em estacionamentos públicos ou outras zonas que estejam sob a jurisdição municipal não podem conter anúncios de vendas.

Mesmo que o carro não faça referência à palavra “vende-se” ou “procura-se novo dono”, mas divulgue um número de telefone ou as características do carro é considerado estacionamento indevido/abusivo, sendo punido por lei. Torna-se difícil negar que não está a vender o carro quando nele constam informações expostas ao público.

Quem não respeita esta lei do código da estrada poderá ser autuado com uma coima entre os 60 aos 300 euros. Esta mesma coima é aplicada também nos casos de estacionamento reservados/destinados a outros veículos.

É, portanto, considerado estacionamento abusivo ou indevido quando uma viatura se encontra estacionada durante 30 dias seguidos, na via pública ou num parque/zona de estacionamento com isenção de pagamentos.

Se vir um carro parado numa zona como a referida poderá reclamar à câmara municipal da zona. Alguns sites das autarquias disponibilizam uma área própria para estas causas.

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Ler mais
Recomendadas

“Desigualdade nas comissões bancárias não preocupa Provedoria de Justiça”, diz Deco

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) alerta que a  lei que proíbe a cobrança de comissões pelo processamento de prestações de crédito discrimina milhões de consumidores. Treze milhões de contratos de crédito ficam de fora das novas regras. Deco diz que denunciou esta desigualdade à Provedoria de Justiça, mas que não foi ouvida.

DECO junta-se ao REFIL para incentivar reutilização de embalagens

Apesar de já se encontrar previsto o comércio de bebidas em embalagens reutilizáveis e de produtos a granel, os consumidores ainda não beneficiam de um mercado que lhes permita adquirir, nestes moldes, produtos de limpeza e higiene pessoal, forçando-os a optar por novas embalagens e aumentando, assim, a sua produção de resíduos, colocando em causa as metas portuguesas da sustentabilidade.

Fim da isenção de ISV para ligeiros de mercadorias recebida com desagrado pela ACAP

A Associação Automóvel de Portugal recebeu com desagrado o fim da isenção do Imposto sobre Veículos de mercadorias a partir de julho, medida que aumentará os custos em cerca de 3 mil euros, apenas em ISV.
Comentários