100 jovens distinguidos com prémio Infante D. Henrique

O prémio visa dar relevo à importância do desenvolvimento de competências como a persistência, compromisso, responsabilidade e o desenvolvimento pessoal e social dos participantes neste programa.

100 jovens vão ser distinguidos com o prémio Infante D. Henrique, nas categorias de ouro, prata e bronze. Este prémio é a versão portuguesa do ‘The Duke of Edingurgh’s International Award’ que visa o desenvolvimento pessoal e social de actividades voluntárias e não competitivas.

Entre os distinguidos estão jovens da escolas da APEL, Câmara Municipal do Funchal, Criamar, Colégio Infante D. Henrique, Escola Secundária Francisco Franco e Escola Superior de Enfermagem.

O objectivo deste galardão passar por dar relevo à importância do desenvolvimento de competências como a “persistência, compromisso, iniciativa, responsabilidade e desenvolvimento pessoal e social” características que são trabalhadas durante a execução do programa referente ao Prémio Infante D. Henrique.

“Para um jovem estar bem preparado para a vida, não basta dar-lhe uma ótima educação académica. É essencial dar-lhe as capacidades, comportamentos e atitudes de que precisam para serem adultos de sucesso, e a única forma de isso ser feito é prolongar a aprendizagem para além da sala de aula e dentro da comunidade”, sublinhou John May, secretário geral do The Duke of Edinburgh’s International Award Foundation, durante a edição passada do prémio Infante D. Henrique, que se realizou na Madeira.

Na entrega das distinções, que se realiza nos Paços do Concelho, da Câmara Municipal do Funchal, vai estar presente Dom Duarte, Duque de Bragança.

Recomendadas

Mais de 10 anos após primeiras reivindicações ainda não há lei das tatuagens, alerta Deco

Nas visitas realizadas pela nossa equipa da revista PROTESTE a estúdios de tatuagens verificou-se que tatuar a pele de um menor sem a autorização dos pais não levanta qualquer constrangimento a muitos profissionais.

PAN quer no mínimo dois deputados na Assembleia da Madeira

As bandeiras do partido são a saúde, o combate à corrupção e tráfico de influências, a luta contra a pobreza e uma linha marítima entre a Madeira e o continente.

Aliança quer eleger cidadãos e não políticos de profissão

O candidato refere que em sede de parlamento tudo é negociável e que o seu compromisso é fazer cumprir o programa de governo, mas que não tem pretensões de ir para governo, “a não ser que ganhemos as eleições”.
Comentários