BNI lança Crédito no Recibo para consolidar créditos já contraídos

“O Crédito no Recibo pretende ser uma ferramenta de consolidação de créditos já contraídos pelo cliente, e não uma ferramenta de endividamento adicional”, diz o BNI.

Banco BNI Europa, através da sua marca de Crédito Puzzle, e Edenred juntam-se para lançar crédito pessoal com desconto direto no recibo

O ‘Crédito no Recibo’ é um produto da Puzzle (marca de crédito pessoal do Banco BNI Europa), que permite o desconto das prestações diretamente no vencimento dos colaboradores.

“Esta solução oferece taxas de juros mais baixas, uma vez que o risco financeiro, tipicamente associada a soluções de crédito, é mais reduzido”, diz o banco liderado por Pedro Pinto Coelho.

O Crédito no Recibo “permite assim substituir créditos que os colaboradores tenham noutras instituições com taxas mais altas, reduzindo as suas despesas mensais, e contribuindo para uma melhoria da sua saúde financeira”.

“O Crédito no Recibo pretende ser uma ferramenta de consolidação de créditos já contraídos pelo cliente, e não uma ferramenta de endividamento adicional.” – refere Gonçalo Santos, Diretor da área de Crédito Online do Banco BNI Europa.

“Os atuais contextos económicos e demográficos, marcados por uma já expressiva diminuição da taxa de desemprego nos últimos anos, bem como por uma escassez de recursos qualificados em determinados sectores, acarretam desafios para os Recursos Humanos das empresas, nomeadamente no que respeita à atração, retenção e motivação das pessoas”, contextualiza o banco que cita um estudo conduzido pelo Bank of America Merryl Lynch, que conclui que “o stress financeiro dos colaboradores é uma preocupação generalizada para as empresas e um tema que está já no radar de 90% das multinacionais, factos que reforçam o caráter diferenciador e relevante desta solução.” – Salienta Álvaro Amorim, CEO da Salary Fits Portugal.

Fruto de uma parceria entre a Edenred, o Banco BNI Europa e a Salaryfits, o Crédito no Recibo está disponível no portal Easyfin.  “O objetivo do portal Easyfin é disponibilizar uma solução completa de bem-estar financeiro aos colaboradores das empresas Portuguesas.” – refere Mauro Borochovicius, CEO da Edenred Portugal.

Com esta nova abordagem ao conceito de bem-estar financeiro, através do portal Easyfin  e do produto Crédito no Recibo, as empresas ganham agora uma oportunidade para se diferenciarem, oferecendo um benefício exclusivo altamente valorizado pelos colaboradores que o adotarem.

Através dos processos online do portal Easyfin, os colaboradores das empresas aderentes têm acesso direto a solicitar o Crédito no recibo, com segurança e confidencialidade.

O processo é tão simples e transparente que, após aprovação, no prazo de 24h, o montante de crédito pessoal concedido é transferido para a conta bancária indicada pelo colaborador.

Tudo isto sem custos adicionais e sem tarefas suplementares para os Recursos Humanos das empresas que disponibilizam este benefício, uma vez que o Easyfin é integrado, no momento da adesão por parte destas, com o seu sistema de processamento de vencimentos.

 

Ler mais
Recomendadas

“Há bancos que podem ter de vir a realizar aumentos de capital”, alerta Faria de Oliveira

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos, defende que a banca é essencial e “vai ter papel decisivo no resgate à economia”. Ainda assim, Faria de Oliveira admite que há bancos que podem ter de vir a realizar aumentos de capital porque, para enfrentar a crise pandémica, a rentabilidade vai diminuir.

Faria de Oliveira: “Novo Banco? Os compromissos de Estado são para cumprir”

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos, considera que, sobre os pagamentos do Fundo de Resolução ao Novo Banco, existindo um compromisso escrito através de um contrato, “o não cumprimento em termos de reputação do país é extremamente negativo”.

PremiumNova injeção do Estado no Novo Banco ainda é hipótese

Estão a ser estudadas alternativas para financiar o Fundo de Resolução e garantir a próxima injeção. Sindicato de bancos nacionais é hipótese e inscrição de verba no OE ainda não foi afastada.
Comentários