5G. Huawei “surpreendida e desapontada” com proibição “sem fundamento” na Suécia

A gigante chinesa das telecomunicações sublinhou que “não há nenhuma base factual que apoie as alegações da Huawei ser uma ameaça à segurança”. Por isso, o grupo chinês espera que o governo sueco “reavalie” a decisão.

A decisão da Autoridade Sueca de Telecomunicações banir a Huawei da nova rede de telecomunicações 5G daquele país, como medida de segurança nacional, apanhou de surpresa a empresa, esta terça-feira. O grupo chinês considera “sem fundamento, injusta e inaceitável” a medida das autoridades suecas.

“A Huawei está surpreendida e desapontada por saber das condições de licenciamento para a participação dos operadores nos leilões de 3.5 Ghz e 2.3 GHz hoje reveladas pela Autoridade Sueca de Telecomunicações (PTS)”, lê-se numa nota enviada à redação.

A gigante chinesa das telecomunicações sublinhou que “não há nenhuma base factual que apoie as alegações da Huawei ser uma ameaça à segurança”. Por isso, a empresa de telecomunicações considera que o bloqueio da Suécia baseia-se “numa numa presunção sem fundamento, injusta e inaceitável”, referindo tratar-se de uma “empresa comercial privada”.

Com duas décadas de operações naquele país, a Huawei reclama  ter “um registo limpo de graves incidentes de segurança” e que “nunca causou a mais pequena ameaça à cibersegurança sueca”.

“Excluir a Huawei não vai tornar as redes 5G da Suécia mais seguras. Pelo contrário, a concorrência e a inovação vão ser gravemente prejudicadas”, lê-se na nota de imprensa.

A Huawei vai agora “avaliar cuidadosamente” o impacto da decisão das autoridades suecas, com a expetativa que “o governo sueco reveja a decisão”.

Esta terça-feira, a Suécia anunciou que vai vai proibir novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G como medida de segurança nacional e que os já instalados terão de ser removidos até 1 de janeiro de 2025.

Desta forma, a Suécia segue o Reino Unido, que em julho decidiu banir a empresa chinesa, numa altura em que vários países europeus são pressionados pelos Estados Unidos a fechar portas à Huawei.

A Suécia é o país de origem da Ericsson, principal concorrente da Huawei na Europa para o mercado de equipamentos e componentes para infraestruturas de telecomunicações.

Ler mais
Relacionadas

5G. Suécia proíbe novos equipamentos dos chineses Huawei e ZTE

A Suécia vai proibir novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G como medida de segurança nacional e os já instalados terão de ser removidos até 1 de janeiro de 2025, foi esta terça-feira anunciado.
Recomendadas

Tecnológica brasileira CI&T prevê investir dois milhões de euros em dois anos e contratar 200

A CI&T tem presença na Ásia, mais concretamente China e Japão, e Estados Unidos, que foi o segundo mercado de aposta.

António Horta Osório vai ser Chairman do Credit Suisse

Horta Osório será eleito Presidente do Conselho de Administração do Credit Suisse em maio. O banco está presente em Portugal. A nomeação será rápida, já que sendo um banco suíço não precisa de passar pela morosa avaliação do BCE.

Revolut lança aplicação web de “homebanking”

Assim como na ‘app’ do telemóvel, os clientes da Revolut conseguem, com esta nova ferramenta, adicionar dinheiro à conta através de transferência bancária, cartão débito ou de crédito ou Apple Pay. O website está protegido por um sistema de autenticação de dois fatores.
Comentários