5G. Huawei “surpreendida e desapontada” com proibição “sem fundamento” na Suécia

A gigante chinesa das telecomunicações sublinhou que “não há nenhuma base factual que apoie as alegações da Huawei ser uma ameaça à segurança”. Por isso, o grupo chinês espera que o governo sueco “reavalie” a decisão.

A decisão da Autoridade Sueca de Telecomunicações banir a Huawei da nova rede de telecomunicações 5G daquele país, como medida de segurança nacional, apanhou de surpresa a empresa, esta terça-feira. O grupo chinês considera “sem fundamento, injusta e inaceitável” a medida das autoridades suecas.

“A Huawei está surpreendida e desapontada por saber das condições de licenciamento para a participação dos operadores nos leilões de 3.5 Ghz e 2.3 GHz hoje reveladas pela Autoridade Sueca de Telecomunicações (PTS)”, lê-se numa nota enviada à redação.

A gigante chinesa das telecomunicações sublinhou que “não há nenhuma base factual que apoie as alegações da Huawei ser uma ameaça à segurança”. Por isso, a empresa de telecomunicações considera que o bloqueio da Suécia baseia-se “numa numa presunção sem fundamento, injusta e inaceitável”, referindo tratar-se de uma “empresa comercial privada”.

Com duas décadas de operações naquele país, a Huawei reclama  ter “um registo limpo de graves incidentes de segurança” e que “nunca causou a mais pequena ameaça à cibersegurança sueca”.

“Excluir a Huawei não vai tornar as redes 5G da Suécia mais seguras. Pelo contrário, a concorrência e a inovação vão ser gravemente prejudicadas”, lê-se na nota de imprensa.

A Huawei vai agora “avaliar cuidadosamente” o impacto da decisão das autoridades suecas, com a expetativa que “o governo sueco reveja a decisão”.

Esta terça-feira, a Suécia anunciou que vai vai proibir novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G como medida de segurança nacional e que os já instalados terão de ser removidos até 1 de janeiro de 2025.

Desta forma, a Suécia segue o Reino Unido, que em julho decidiu banir a empresa chinesa, numa altura em que vários países europeus são pressionados pelos Estados Unidos a fechar portas à Huawei.

A Suécia é o país de origem da Ericsson, principal concorrente da Huawei na Europa para o mercado de equipamentos e componentes para infraestruturas de telecomunicações.

Relacionadas

5G. Suécia proíbe novos equipamentos dos chineses Huawei e ZTE

A Suécia vai proibir novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G como medida de segurança nacional e os já instalados terão de ser removidos até 1 de janeiro de 2025, foi esta terça-feira anunciado.
Recomendadas

CEO da Páginas Amarelas: “Porta da loja não deve ser para a rua mas para o mundo. Investimento no digital é essencial”

António Alegre, CEO da “Páginas Amarelas”, referiu em entrevista à “Fast Talk” da plataforma multimédia JE TV que a pandemia veio mudar a perceção da necessidade de maiores investimentos no digital por parte das empresas.

Caixa Geral de Depósitos aumenta lucros para 294 milhões de euros

No primeiro semestre, o resultado líquido consolidado da CGD atingiu 294 milhões de euros (249 milhões no período homólogo). O banco revela ainda a “continuação do reforço de imparidades de crédito em 90,2 milhões de euros em base preventiva dos potenciais efeitos da crise pandémica”.

Mais de metade das empresas com quebras no volume de negócios em 2020

Três quartos das empresas do alojamento e restauração registaram perdas no volume de negócios, enquanto mais de metade das empresas nos sectores dos transportes, serviços gerais, grossistas, retalho e indústrias apresentaram quebras.
Comentários