Premium80% dos hotéis fechados com recuperação adiada para 2024

Raul Martins, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), considera que as últimas medidas do Governo revelam “um perfeito desconhecimento do sector”.

Se o sector nacional do turismo se confronta com um cenário desolador há meses, a atividade da hotelaria está no mesmo barco à deriva. “Neste momento, encontram-se encerrados cerca de 80% dos hotéis a nível nacional”, avisa o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), em declarações exclusivas ao Jornal Económico.

Raul Martins destaca que nas situações de insolvência, a hotelaria tem uma dimensão empresarial “mais elástica e até ao eclodir da crise pandémica as empresas estavam mais capitalizadas”. Pois, diz, “tinham amortizado dívida nos bons anos e por isso estavam bastantes sólidas”. Já os hotéis que abriram recentemente, e aqueles que já estavam numa situação difícil, “terão de encontrar soluções de restruturação financeira para não ficarem insolventes ou encerrarem”, explica.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas
catarina_martins_oe_2020

Covid-19: Catarina Martins faz um apelo a Costa para que estenda já as moratórias

“Deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já”, num comício maioritariamente virtual que assinalou o encerramento da conferência autárquica online e os 22 anos do BE, que comemora no domingo a sua fundação.

TAP. Ratificação dos acordos com pilotos e tripulantes era “passo crucial”, diz o Governo

“Porque estes acordos representam um compromisso muito firme de todos com o futuro da companhia, dão ainda mais credibilidade ao plano de reestruturação que o Estado português continuará a negociar com a Comissão Europeia ao longo das próximas semanas”, sublinhou o Ministério das Infraestruras e da Habitação.

Serviços postais caem 12,4% mas tráfego de encomendas dispara 20% em 2020

Tráfego total dos serviços postais caiu 12,4% em 2020, uma quebra que “está associada aos efeitos da pandemia da Covid-19” e que foi “mais expressiva” do que o recuo verificado em 2019 (-6,7%). A pandemia terá tido “um impacto direto, negativo, de 9,8% no tráfego postal total”.
Comentários