“A Arte da Guerra”. “Reunião entre China e EUA? De diplomática teve pouco”

“Esta reunião, de diplomática tem pouco porque a diplomacia costuma salvaguardar alguma coreografia de entendimento como a porta derradeira das dificuldades em terreno bilateral. Até é bizarro que a reunião tenha decorrido no Alasca”, realçou o embaixador Francisco Seixas da Costa.

As reuniões entre os chefes das diplomacias norte-americana e chinesa em Anchorage, no Estado norte-americano do Alasca, que tiveram lugar a 18 de março, foram marcadas por um tom duro por parte das duas potências, que não mostraram qualquer intenção de mudar o rumo das relações entre os dois países. Este foi um dos temas da última edição do programa “A Arte da Guerra”, da plataforma multimédia JE TV.

“Esta reunião, de diplomática tem pouco porque a diplomacia costuma salvaguardar alguma coreografia de entendimento como a porta derradeira das dificuldades em terreno bilateral. Até é bizarro que a reunião tenha decorrido no Alasca”, realçou Francisco Seixas da Costa.

Relacionadas

Dos 10 anos de guerra na Síria aos interesses estratégicos do Reino Unido. Veja “A Arte da Guerra”

Acompanhe o programa “A Arte da Guerra” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Recomendadas

Luís Osório: “António Costa é um político à antiga. Poderia discutir política com Soares, Cunhal ou Sá Carneiro”

“Ficheiros Secretos – Histórias Nunca Contadas da Política e da Sociedade Portuguesas” é o novo livro de Luís Osório, que se propõe a contar histórias até agora desconhecidas de protagonistas como Mário Soares, Álvaro Cunhal, Cavaco Silva, entre outros. Saiba mais nesta Fast Talk da JE TV com o jornalista e escritor.

Miguel Farinha: “Liga portuguesa? Impacto da pandemia foi inevitável mas só a Champions levou 60 milhões de euros”

Em entrevista ao programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Farinha, partner e líder de Strategy and Transactions da EY falou dos principais fatores que levaram a uma quebra de receitas na época passada.

“Apoios ao sector da restauração são tardios e ineficientes”, alerta secretária-geral da AHRESP

O Governo antecipou a reabertura dos restaurantes para o primeiro fim-de-semana de maio mas as dificuldades sentidas neste setor, onde se registam quebras homólogas superiores a 90%, não está a ter o devido acompanhamento por parte das autoridades, alerta Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP, nesta Fast Talk da JE TV.
Comentários