Acionistas da EDP Renováveis aprovam dividendo de 0,08 euros por ação

Em comunicado divulgado no site da CMVM, a empresa liderada por João Manso Neto informou que a Assembleia Geral, realizada por meios telemáticos devido ao surto do novo coronavírus, aprovou o pagamento de dividendos num total de 69,78 milhões de euros,

Cristina Bernardo

Os acionistas da EDP Renováveis aprovaram esta quinta-feira em Assembleia Geral pagamento de um dividendo de 0,08 euros por ação relativo ao exercício de 2019, perfazendo um montante global de 69,78 milhões de euros informou a empresa, em comunicado divulgado no site da CMVM.

A empresa liderada por João Manso Neto informou que a proposta foi aprovada numa reunião magna realizada por meios telemáticos devido ao surto do novo coronavírus.

A 20 de fevereiro a EDP Renováveis anunciou que os lucros subiram 52% para 475 milhões de euros em 2019, A contribuir para este resultado esteve o aumento de capacidade, o maior preço médio de venda, impactos cambiais positivos, maior recurso eólico, com as receitas a aumentarem para 1.824 milhões, mais 7%.

 

Relacionadas

Lucros da EDP Renováveis sobem 52%. Dividendo sobe para oito cêntimos

Mais potência, mais vento, preços mais altos e impactos cambiais positivos fizeram a companhia atingir 475 milhões de euros de lucros. O dividendo da companhia vai subir este ano de sete para oito cêntimos, com o conselho de administração a propor distribuir 69,8 milhões aos seus acionistas.
Recomendadas

Ensaios iniciais da Johnson & Johnson mostram resposta imune em 98% dos participantes

O fármaco, disponível no formato de uma ou duas tomas, já avançou esta semana para a fase 3 dos ensaios clínicos, pelo que os especialistas avisam que estes resultados preliminares ainda são de interpretação limitada.

Montepio entrega plano de transformação aos trabalhadores dia 6. Previstas entre 600 a 900 saídas

Plano de transformação do Banco Montepio entregue aos trabalhadores dia 6 outubro e prevê a saída de, pelo menos, 600 pessoas, e um máximo de 900, através de reformas antecipadas e rescisões por mútuo acordo. Já estão identificados 37 balcões para encerrar, estando mais cerca de 40 em equação.

Regulador europeu pede fim da suspensão do Boeing 737 Max

“Pela primeira vez em ano e meio, posso dizer que o trabalho com o 737 Max está quase a terminar”, apontou Patrick Ky, diretor executivo da Agência de Segurança de Aviação da União Europeia (EASA, sigla inglesa).
Comentários