ActivoBank lança ‘app’ ActivoTrader para clientes particulares

O ActivoTrader permite negociar Ações, ETF’s, Warrants, Certificados e Obrigações nas principais praças mundiais.

ActivoBank Amoreiras Lisboa

O ActivoBank acaba de lançar a App ActivoTrader que “permite acompanhar a evolução dos mercados de forma efetiva”, diz o banco do Grupo BCP em comunicado.

Esta aplicação “destina-se a clientes particulares que fazem negociação em bolsa, ou acompanham os mercados, e evidencia-se pelas suas ferramentas e por uma experiência de utilização intuitiva”.

O ActivoTrader permite negociar Ações, ETF’s, Warrants, Certificados e Obrigações nas principais praças mundiais e “destaca-se também pela informação que disponibiliza, permitindo uma negociação imediata”, diz a instituição. De salientar “a possibilidade de cotações em real-time, criação de favoritos e watchlists, streaming de cotações com atualização automática, gráficos interativos de análise técnica e feed com as principais notícias sobre mercados”, refere.

O acesso é possível através de impressão digital ou reconhecimento facial, o que o banco diz ser uma solução segura e simplificada.

“Todas as funcionalidades apresentam-se, assim, com um design moderno, simplificado e user friendly”, revela o Activobank.

“O lançamento desta plataforma de negociação solidifica o compromisso do ActivoBank em simplificar o dia-a-dia dos seus Clientes e reforça aposta do Banco no digital”, refere o banco.

Ler mais
Recomendadas

Associação Coleção Berardo diz que “não é, nem nunca foi cliente” da Caixa Geral de Depósitos

A missiva escrita pela Associação Coleção Berardo (ACB) aponta que o empresário prestou declarações no Parlamento exclusivamente na qualidade de legal representante da Metalgest e da Fundação José Berardo, entidades que são clientes da CGD desde 2006 e 2007, respetivamente, ao contrário da ACB.

Citibank quer regressar a Angola

A justificar o interesse, está, entre outros, a pressão das empresas petrolíferas junto dos parceiros financeiros e as dificuldades nos pagamentos para operações em dólares.

PremiumFundo dos lesados do BES processa Haitong e ex-administradores

Veículo criado para indemnizar lesados do Banco Espírito Santo exige 518 milhões a banco de investimento e cada um dos seis antigos gestores, entre os quais Ricardo Salgado, José Maria Ricciardi e Morais Pires. Ação deu entrada no tribunal a 7 de junho.
Comentários