Adesão à Chave Móvel Digital será possível com dados biométricos e videoconferência

O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que simplifica o processo de adesão ao sistema alternativo e voluntário de autenticação eletrónica dos cidadãos.

O Governo aprovou esta quinta-feira, em reunião do Conselho de Ministros, o decreto-lei que desenvolve tecnologicamente e flexibiliza a Chave Móvel Digital (CMD), o sistema alternativo e voluntário de autenticação eletrónica dos cidadãos.

O objetivo é simplificar o processo de adesão. Assim, a “autenticação e assinatura com CMD, são disponibilizadas novas formas de adesão à distância, através de dispositivo móvel, mediante aplicação com recurso a biometria, e de videoconferência, mediante prévia confirmação de identidade”, segundo o Executivo.

Segundo a AMA – Agência para a Modernização Administrativa, a CMD é um meio de autenticação e assinatura digital certificado pelo Estado português que permite ao utilizador aceder a vários portais públicos ou privados, e assinar documentos digitais, com um único login. Na prática, é tão legal quanto uma assinatura à mão e pode ser usada em PDFs ou prescrições médicas oficias, por exemplo.

Para tal, é preciso associar um número de telemóvel ao número de identificação civil ou o número de passaporte ou título/cartão de residência no caso de um cidadão estrangeiro.

Porém, mesmo se não tiver o telemóvel consegue usar a CMD para se autenticar. “Pode autenticar-se com a sua Chave Móvel Digital e optar por escolher o código de segurança via e-mail ou Twitter. Deverá certificar-se que associou o seu contacto de email ou conta Twitter quando ativou a sua Chave Móvel Digital. Se o não fez, poderá adicionar essa informação na área reservada no portal Autenticação.gov”, explica a AMA.

Recomendadas

“A Arte da Guerra”. “Candidato da extrema-direita defende que França será islamizada por uma invasão de natureza árabe”

“Zemmour tem um discurso excessivamente radical para um candidato que possa ir ao centro. A grande tese que ele defende é que uma grande invasão de natureza árabe, com uma visão totalitária da sociedade, vai islamizar a França”, sublinhou Seixas da Costa no programa da JE TV.

PAN e PEV querem que terça-feira de Carnaval seja obrigatoriamente feriado nacional

Tanto o PAN como o PEV querem que sejam feriados nacionais obrigatórios “os dias 1 de janeiro, de Terça-Feira de Carnaval, de Sexta-Feira Santa, de Domingo de Páscoa, 25 de abril, 1 de maio, de Corpo de Deus, 10 de junho, 15 de agosto, 5 de outubro, 1 de novembro, 1, 8 e 25 de dezembro”. A proposta será votada na sexta-feira, 19 de outubro.

Autárquicas: Rosário Farmhouse (PS/Livre) eleita presidente da Assembleia Municipal de Lisboa

A cabeça de lista da coligação “Mais Lisboa” (PS/Livre) à Assembleia Municipal de Lisboa, Rosário Farmhouse, foi esta segunda-feira eleita presidente deste órgão deliberativo do município da capital e comprometeu-se a promover o diálogo sobre o futuro da cidade.
Comentários