Administração Biden anuncia suspensão por 100 dias das deportações de imigrantes

“Durante 100 dias, a partir de 22 de janeiro de 2021, o DHS [Departamento de Segurança Nacional] suspenderá as deportações de certos não cidadãos cujas deportações foram ordenadas”, disse o secretário interino David Pekoske, recentemente nomeado por Biden.

Eric Schaff / EPA

A administração do novo Presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou quarta-feira a suspensão por 100 dias das deportações de imigrantes, embora com algumas exceções, de acordo com um comunicado do Departamento de Segurança Interna.

“Durante 100 dias, a partir de 22 de janeiro de 2021, o DHS [Departamento de Segurança Nacional] suspenderá as deportações de certos não cidadãos cujas deportações foram ordenadas”, disse o secretário interino David Pekoske, recentemente nomeado por Biden.

A razão, acrescentou Pekoske, é “assegurar” que os Estados Unidos tenham “um sistema de imigração justo e eficaz centrado na proteção da segurança nacional, segurança fronteiriça e segurança pública”, ordenando “uma revisão e reinício” dos protocolos.

As autoridades não forneceram detalhes sobre as pessoas que estão excluídas da nova medida.

Durante a campanha, Biden já se tinha comprometido com esta suspensão das deportações, embora na altura o tivesse feito sem qualquer exceção.

Biden assumiu este compromisso após receber duras críticas durante as primárias democráticas pelas deportações em massa da administração Barack Obama, da qual foi vice-presidente.

Durante a presidência de Obama, três milhões de imigrantes foram deportados, mais do que sob qualquer outro Governo dos Estados Unidos, incluindo o de Donald Trump.

A pausa de 100 dias nas deportações vem juntar-se a outra medida anunciada quarta-feira pelo Departamento de Segurança Interna: a suspensão do registo para o programa “Stay in Mexico”, que permitiu a Trump devolver os requerentes de asilo ao país vizinho.

Além disso, Biden aprovou uma série de medidas de imigração no âmbito do pacote de 17 ordens executivas que assinou após se ter instalado na Casa Branca, tais como o reforço do programa para jovens sem documentos conhecidos como “sonhadores” ou a revisão das prioridades na detenção de imigrantes.

Biden apresentou também um plano de imigração que prevê a regularização de 11 milhões de imigrantes sem documentos, embora este projeto dependa do poder legislativo.

Ler mais
Recomendadas

Canadá vai financiar programa internacional de combate à pesca ilegal

O Canadá vai reforçar o combate à pesca ilegal. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, a pesca ilegal representa até 26 milhões de toneladas de peixes capturados anualmente, avaliados entre os 10 e 23 mil milhões de dólares (entre 8 e 18,7 mil milhões de euros). A nível internacional, […]

Joe Biden inicia primeira ação militar do mandato contra Síria

O Pentágono sublinhou que o ataque destruiu “várias instalações” e foi ordenado em resposta aos ataques contra os EUA.

António Guterres é recandidato à liderança da ONU. Com que apoios pode contar?

António Guterres apresentou a recandidatura a um segundo mandato como secretário-geral da ONU a janeiro de 2021. O Governo elogiou o desempenho do antigo governante português nas Nações Unidas, durante um período especialmente “doloroso” e “desafiante”, tendo formalizado o apoio à sua recandidatura.
Comentários