Adolescente suspeito de matar nove pessoas numa escola russa detido pela polícia

Um adolescente foi detido pelas autoridades russas na sequência dos disparos hoje numa escola em Kazan, no centro da Rússia, que fizeram pelo menos nove mortos, de acordo com as fontes das agência de notícias de Moscovo.  

Os serviços de emergência disseram às agências Interfax, TASS e Ria Novosti, que pelo menos nove pessoas foram mortas a tiro: oito alunos e um professor.

De acordo com a TASS, 10 pessoas ficaram feridas, quatro das quais tiveram de ser hospitalizadas de emergência.

“As forças da ordem prenderam um adolescente, que está na origem dos disparos”, disse uma outra fonte dos serviços de emergência citado pela Ria Novosti.

“O atirador foi preso, É um adolescente”, disse uma outra fonte à agência Interfax.

Mesmo assim, segundo a Interfax e a TASS um segundo atirador pode estar ainda no interior do edifício.

“Nós sentimos uma explosão no edifício da escola e vimos fumo”, disse uma testemunha não identificada pela Ria Novosti.

“Eu estava numa aula e apercebi-me de uma explosão”, confirmou um professor à agência TASS.

As autoridades de Kazan anunciaram o reforço das medidas de segurança nos outros estabelecimentos de ensino da cidade.

O dirigente local Roustam Minnikhanov encontra-se no local dos disparos para onde as autoridades enviaram 21 ambulâncias.

Recomendadas

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 

Brexit. Boris Johnson “não hesitará” em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

UE e Reino Unido estão em conflito aberto porque este último tomou medidas unilaterais para mitigar o impacto da introdução de controlos aduaneiros na circulação de algumas mercadorias, como produtos alimentares frescos, o que levou a Comissão Europeia a levantar um processo de infração em março. 

Líderes do G7 acordaram lançar plano de infraestruturas para combater projeto da China

A proposta dos EUA visa mobilizar capital do sector privado para promover projetos em quatro áreas: clima, segurança sanitária, tecnologia digital e igualdade de género, além de contar com investimentos de instituições financeiras.
Comentários