Afinal, quanto plástico reciclamos na Europa?

Em Portugal, o nível de reciclagem encontra-se ligeiramente acima dos 30%, ainda acima da média, ficando à frente de Luxemburgo mas atrás de países como Itália, Grécia, Reino Unido e Suécia.

Com as fortes investidas ao nível da reciclagem, nomeadamente do plástico, o Eurostat estima que tenham sido enviadas para a reciclagem, e efetivamente recicladas, cerca de 42% das embalagens plásticas. Em sete países estados membros, mais de metade das embalagens plásticas geradas foram recicladas.

Ainda assim, este valor referente a 2017 apresenta um ligeiro decréscimo ao que tinha sido registado em 2016, com uma diferença de 0,5 pontos percentuais.

No entanto, em comparação com 2005, a percentagem de plástico reciclado aumentou em 15,55%, sendo que em 2005 apenas se verifica a reciclagem de produtos gerados na ordem dos 26,6%. Esta é uma tendência que tem sido observada, ainda que em diferentes níveis, em todos os estados membros, com exceção da Croácia.

Assim, os níveis de reciclagem mais elevado, encontram-se países como a Lituânia, com 74%, Bulgária, com 65%, Chipre, com 62%, Eslovénia, com 60%, República Checa, com 59%, Eslováquia, com 52%, e Holanda, com 50%, situando-se ainda acima da média europeia.

Contrariamente, onde se reciclam menos embalagens plásticas estão países como Malta, com a taxa mais baixa com 24%, Estónia, França, Finlândia, com 27%. Irlanda, com 31%, Hungria, com 32%, Luxemburgo e Áustria, com 33%.

Em Portugal, o nível de reciclagem encontra-se ligeiramente acima dos 30%, ainda acima da média, ficando à frente de Luxemburgo mas atrás de países como Itália, Grécia, Reino Unido e Suécia.

Ler mais
Recomendadas

Estudo revela aumento das emissões poluentes nos países do G20

O relatório em questão analisou as políticas e as ações climáticas que os países do G20 têm realizado para que seja possível atingir o que foi acordado em 2015.

Deputados da comissão de Ambiente aprovam vinda de Greta a Portugal

“Foi uma proposta apresentada por mim e aprovada por unanimidade, que foi assumida por toda a comissão. Esta é uma vontade que vem já da anterior legislatura”, disse José Maria Cardoso, em declarações à Lusa.

CMVM: Empresas demonstram falta de conhecimento sobre finanças sustentáveis

De acordo com o relatório divulgado pelo regulador do mercados sobre os fatores ‘ESG’, as 17 entidades envolvidas nessa consulta pública, entre as quais empresas e associações representativas do setor empresarial e financeiro e dos consumidores, sinalizaram dificuldades de “imprecisão e confusão conceptual” sobre o tema.
Comentários