Agência Espacial Europeia tem 125 mil euros para apoiar projetos portugueses

As empresas e institutos de investigação portugueses interessados em transferir tecnologia espacial para criar novos produtos ao serviço da Terra já podem inscrever-se no programa “Spark 4 Business 2021”.

Blue Origin – Um presente do outro mundo

O Instituto Pedro Nunes (IPN), coordenador do ESA Space Solutions Portugal, já abriu as candidaturas para o programa da Agência Espacial Europeia (ESA) chamado “Spark 4 Business 2021”, que vai apoiar empresas e institutos de investigação portugueses interessados em transferir tecnologia espacial para criar novos produtos ao serviço da Terra.

“O Spark 4 Business vai apoiar cinco projetos que utilizem ativos espaciais, como Comunicações por Satélite, Navegação por Satélite ou Observação da Terra, para desenvolver novos produtos e serviços para mercados terrestres, como a saúde, transportes, energia, agricultura, ambiente ou segurança”, explica o IPN.

Cada um receberá um financiamento máximo até 25 mil euros, apoio do instituto no estudo da viabilidade financeira e técnica e relacionamento direto com a ESA. A primeira fase de inscrições prolonga-se até 2 de junho e a segunda até 2 de novembro.

Entre os casos de sucesso está, por exemplo, a startup Matereo, que recebeu auxílio no âmbito do Spark 4 Business para o desenvolvimento de um assistente virtual – IMSbridge – que recorre a dados de satélite para a monitorização remota de estruturas de engenharia civil, tais como pontes, túneis e barragens, permitindo reduzir incertezas e aumentar a eficiência do sector da construção.

“Permitiu-nos ter recursos para realizar um estudo de mercado mais abrangente, bem como validar em simultâneo alguns dos principais conceitos da nossa tecnologia e o potencial do modelo de negócio junto de possíveis clientes” disse o cofundador Ricardo Carmona.

Por sua vez, a Connect Robotics criou com o apoio deste programa um sistema de entrega de encomendas por drones, onde todo o processo é autónomo, necessitando o utilizador apenas de um treino mínimo para iniciar e acompanhar toda a operação. Nos próximos meses, prevê iniciar a entrega de medicamentos por drone.

“O Spark 4 Business permitiu-nos ir de encontro ao mercado de saúde, conhecer a fundo os nossos potenciais clientes e afinar a solução, tanto do lado técnico como do modelo de negócio”, referiu o CEO, Eduardo Mendes.

Em 2014, o IPN tornou-se o primeiro Space Solutions Centre da Agência Espacial Europeia, entre os 21 centros existentes na Europa, a congregar os três programas de transferência de tecnologia promovidos pela ESA: o ESA Business Incubation Centre, o ESA Technology Broker e o ESA Business Application Ambassador Platform.

Ler mais
Recomendadas

Startup inspira-se num dos maiores IPO da Europa para expandir mercado dos cacifos inteligentes

A empresa portuguesa Bloq.it prepara-se para fechar este mês uma ronda de investimento ‘seed’ de 550 mil euros, disse ao Jornal Económico o cofundador João Lopes. Mais do que guardar malas, os cacifos que se abrem com QR code são uma mais-valia para o negócio das entregas.

NOS e Amazon Web Services escolhem 15 startups para o programa de inovação em 5G

Empresas de sectores como saúde, agroalimentar ou desporto – todas com uma vertente digital – foram selecionadas para fazer parte do programa de inovação colaborativa “Acelerador 5G”. “Acreditamos que muito daquelas que serão as grandes inovações de futuro virão do mundo das startups, que tipicamente trazem visões disruptivas”, garante a operadora ao JE.

Portugal vai receber competição global de startups

A competição internacional “Get In The Ring” prevê a implementação de projetos-piloto em cada um dos quatro municípios parceiros da aceleradora BGI: Abrantes, Angra do Heroísmo, Braga e Fundão.
Comentários