Airbnb quer chegar a mais de 1.000 milhões de hóspedes por ano até 2028

Novos tipos de propriedades, novos níveis de oferta, “Coleções Airbnb” e o reconhecimento da comunidade são os elementos-chave da nova estratégia da plataforma de reservas de alojamento.

Numa altura em que olha para o que poderão vir a ser os próximos 10 anos e para o sucesso da sua comunidade de anfitriões, a Airbnb acaba de apresentar uma nova estratégia para o seu negócio principal de alojamentos, projetada para trazer os benefícios transformadores das viagens locais, personalizadas e autênticas para todos os tipos de viajantes. E define como objetivo chegar a mais de 1.000 milhões de hóspedes por ano.

Sobre esta nova estratégia, o cofundador da Airbnb, CEO e chefe da comunidade, Brian Chesky, recorda: “Há 10 anos atrás nunca sonhámos no que a Airbnb se poderia tornar. Na verdade, as pessoas achavam mesmo uma loucura a ideia de que os estranhos poderiam ficar nas casas de outros estranhos. Hoje, milhões de pessoas fazem exatamente isso todas as noites”.

Quanto ao futuro, assegura, passa por “ir mais longe apoiando e expandindo a nossa comunidade, para que dentro de dez anos mais de mil milhões de pessoas experimentem os benefícios das viagens mágicas na Airbnb”.

Na nova estratégia, a empresa destaca a aposta em quatro novos tipos de propriedades – Casa de férias, Espaço Único; Bed & Breakfast e Boutiques (além de Espaço Inteiro, Quarto Privado e Quarto Partilhado); novos níveis de oferta – Airbnb Plus e Beyond por Airbnb; coleções Airbnb – casas perfeitamente adequadas para todas as ocasiões, e ainda, um novo reinvestimento nas comunidades através de um programa reorganizado de “Superhost” e um novo programa de hóspedes, a lançar no final deste ano.

Este anúncio, reforça ainda a empresa, é movido pelo compromisso em ser “uma empresa do século XXI, que atua no interesse de todas as partes, incluindo anfitriões, hóspedes e comunidades”. Isto significa, “ajudar os anfitriões a ser mais bem-sucedidos, levando mais hóspedes e apoiando pequenas empresas em comunidades como as Bed & Breakfasts e ‘hotéis boutique’, que oferecem uma hospitalidade local e autêntica. Isto implica também um compromisso contínuo de associação com as autoridades em todo o mundo, no seguimento de regras que garantam que a Airbnb fortalece as comunidades”.

Relacionadas

Três queixas de vizinhos retiram casa do alojamento local nos EUA. E o mesmo pode acontecer em Portugal

A adoção desta solução iria assim no sentido das recentes propostas de lei que defendem a intervenção dos vizinhos na utilização de casas no alojamento local.

Experiências Airbnb chegam à cidade do Porto

Desde o lançamento das “Experiências Lisboa”, em junho passado, Portugal surgiu como um dos 10 principais destinos de “Experiências” em todo o mundo.

Bernardo Trindade: “Alojamento Local veio enriquecer e qualificar todo o destino Madeira”

Em entrevista ao Económico Madeira, o ex-secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, fala sobre a realidade do alojamento local e como o setor tem contribuído para a economia madeirense.

Turistas do Médio Oriente e África triplicam reservas para Lisboa em 2018

Lisboa será das cidades mais procuradas a nível mundial em 2018, figurando nessa altura no 10º lugar desse ‘ranking’.
Recomendadas

Reclamações às empresas de comunicações sobem 25% no primeiro semestre

Do total de reclamações registadas no 1º semestre, à volta de 80% respeitam ao sector das comunicações eletrónicas (cerca de 41,5 mil) e 20% aos serviços postais (cerca de 10,7 mil). Nas reclamações às comunicações eletrónicas, 96% respeitam aos três maiores operadores MEO, NOS e Vodafone.

BPI é membro fundador do NEST – projeto-âncora do Programa Turismo 4.0

O BPI lidera a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta – Turismo de Portugal, com uma quota de 23,6% do montante total de crédito enquadrado até 30 de junho de 2018. No âmbito desta linha, o BPI, em conjunto com o Turismo de Portugal, já financiou mais de 20 milhões de euros respeitantes a 37 projetos (27,8%).

Novo Banco nomeia Mark Bourke para CFO

Mark Bourke deverá entrar em funções no Novo Banco previsivelmente no início do próximo ano, depois de completar o seu mandato no AIB e após autorização pelo Banco Central Europeu.
Comentários