Aliança suspende ação de campanha após acidente de viação na A1

O partido de Pedro Santana Lopes suspendeu esta quarta-feira a campanha para as eleições europeias, depois de o líder do partido e o cabeça de lista, Paulo Sande, terem sofrido um acidente de viação na A1.

O presidente do Aliança, Pedro Santana Lopes (C), durante a sessão de abertura do 1.º Congresso do Aliança, Évora, 9 de fevereiro de 2019. O partido é liderado por Pedro Santana Lopes que elege neste congresso o senado, o conselho de jurisdição e a comissão de auditoria. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O Aliança suspendeu esta quarta-feira a ação de campanha para as eleições europeias, em Cascais, depois de o presidente do partido, Pedro Santana Lopes, e o cabeça de lista às eleições europeias, Paulo Sande, terem ficado ferido num acidente de viação. Ao Jornal Económico, Paulo Sande dá conta de que o acidente aconteceu na A1, no quilómetro 136, na zona de Leiria.

O veículo seguia de Coimbra para uma ação de campanha em Cascais, Lisboa. Pedro Santana Lopes terá ficado encarcerado, mas ferido sem gravidade. Também Paulo Sande terá ficado ferido sem gravidade. O líder do partido e o candidato serão transferidos para os Hospitais da Universidade de Coimbra para serem observados, depois de lhes terem sido colocados colares cervicais.

Fonte do partido dá conta de que as ações previstas para esta quarta-feira foram canceladas. “Quanto às ações de campanha para os próximos dias, logo se verá”, afirmou.

Pedro Santana Lopes e Paulo Sande deveria participar esta quarta-feira, pelas 18h30, na conferência Eurotalks “Portugal, a Europa e o Mar”, no Museu Condes Castro Guimarães, Cascais. Para amanhã, estava programada a participação de Paulo Sande numa arruda na Feira da Malveira e uma ação de campanha na Estação do Cais do Sodré até Santa Apolónia, em Lisboa.

Recomendadas

Terceira ponte sobre o Tejo volta a ser discutida 10 anos depois

A ponte anunciada por José Sócrates acabou por ser cancelada em 2010. Os custos foram então estimados entre 1,7 mil milhões e 1,9 mil milhões.

Prémios polémicos levam Comissão Executiva da TAP ao Parlamento. Assista ao debate

A comissão executiva da TAP está a ser ouvida na Assembleia da República sobre prémios polémicos atribuídos a trabalhadores, após terminar o exercício de 2018 com prejuízos. O requerimento para ouvir a comissão executiva da transportadora aérea foi apresentado pelo Bloco de Esquerda (BE), que classificou como “inaceitável” a decisão.

Ditadores “inteligentes” atraem mais investidores estrangeiros, revela estudo

De acordo com a Bloomberg, que analisou o estudo publicado pelo Instituto da economia em transição do Banco da Finlândia, estes investimentos são ainda mais significativos, quando efetivamente o líder do regime possui diplomas universitários ao nível da economia, e em especial quando a estes se junta a experiência no mundo dos negócios.
Comentários