PremiumAlívio do IRS é única promessa feita por todos

Todos os partidos defendem menos IRS para rendimentos médios e baixos. Noutros impostos há reduções para todos os gostos e más notícias paraos mais ricos. Mas esquerda e direita chegam a ter propostas semelhantes.

As eleições legislativas de 6 de outubro estão envoltas em incerteza quanto à configuração parlamentar que vai resultar da votação e aos acordos necessários para formar Governo, mas há algo que os eleitores podem ter como garantido: independentemente do vencedor, a maioria dos trabalhadores e pensionistas em Portugal irá sentir uma redução dos impostos a pagar, com o alívio do IRS.

O Jornal Económico inicia esta semana uma análise à vertente económica dos programas eleitorais. E, no capítulo dos impostos, a redução da carga fiscal sobre quem tem rendimentos médios ou baixos consegue uma pouco usual convergência de todo o espectro parlamentar. Se o partido – ou o conjunto de partidos – que formar Governo assumir em pleno as propostas eleitorais, o imposto vai baixar para a maioria das famílias em Portugal.

O PS, que está à frente das sondagens, promete “continuar a aumentar a progressividade do IRS” e que as medidas a adotar “deverão ser dirigidas ao alívio do esforço fiscal da classe média”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

EUA: Powell reitera novamente apoio da Fed à retoma e aponta a “teste mais exigente” no capítulo laboral

O presidente da Fed voltou a reforçar o compromisso do organismo com o apoio à retoma nos EUA e, apesar de vários governadores do Comité da autoridade monetária verem já progresso suficiente no mercado laboral, esclareceu que pretende ver a economia passar “um teste mais exigente” neste capítulo.

Fed revê crescimento dos EUA em baixa e inflação em alta para este ano

A Reserva Federal estima que o crescimento real do PIB norte-americano seja menor do que os 7% estimados em junho, apontando agora para 5,6% em 2021, mas prevê que 2022 traga uma evolução do PIB mais favorável do que o calculado há três meses.

“Basta de destruir” o Fisco. Trabalhadores dos impostos fazem greve de 1 a 5 de dezembro

Em causa está o descontentamento dos trabalhadores contra a demora na regulamentação na carreira ou a perda de autonomia da Autoridade Tributária e Aduaneira, revela esta quarta-feira o STI.
Comentários