Alojamento turístico na Madeira com queda nas dormidas e proveitos

Há um decréscimo face ao mesmo período do ano passado em relação ao rendimento médio por quarto (RevPAR) no alojamento turístico em 4,2%, passando assim para os 49,57 euros. Quando se contabiliza apenas o setor da hotelaria, o RevPAR teve uma quebra de 4,9 em junho deste ano, passando para os 53,95 euros.

Os dados da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) de junho de 2019, relativos ao setor do alojamento turístico, apresentam quedas nas dormidas e nos proveitos totais, de 2,3% e 3,3% respetivamente, comparativamente ao período homólogo.

O total das dormidas do alojamento turístico na Região Autónoma da Madeira em junho rondou os 766,2 milhares, com proveitos totais a atingir os 39,1 milhões de euros.

Excluindo o alojamento local com menos de dez camas, as dormidas apresentaram uma diminuição de 3,4% face a junho de 2018, ao mesmo tempo que no país cresceram 5,6%, com proveitos totais de 11,8%.

A hotelaria concentrou 83,8% das dormidas, o que representa uma quebra de 4,3% em termos homólogos, enquanto o alojamento local aumentou 10,5% nas dormidas, representando 14,2% do total. O turismo no espaço rural e de habitação, responsável por 1,9% do total, teve um aumento de 5,3% nas dormidas face ao mesmo mês do ano passado.

Nos mercados tradicionais do alojamento turístico verificaram-se quebras. O mercado britânico, alemão e francês registaram variações de menos 8,9%, menos 8,8% e menos 5,5%, comparando com o período homólogo. Já o mercado nacional cresceu 8,3%.

Há ainda um decréscimo face ao mesmo período do ano passado em relação ao rendimento médio por quarto (RevPAR) no alojamento turístico em 4,2%, passando assim para os 49,57 euros. Quando se contabiliza apenas o setor da hotelaria, o RevPAR teve uma quebra de 4,9 em junho deste ano, passando para os 53,95 euros.

Ler mais
Recomendadas

Virus: segundo hospital para infetados criado na China dentro de duas semanas

O hospital terá capacidade para 1.300 camas, as quais se somarão aos 1.000 leitos previstos para o primeiro hospital para pacientes portadores do vírus que será construído em dez dias.

Vírus: Governo português reforça apoio a cidadãos de Wuhan e admite retirá-los

O Governo tem estado a estabelecer contacto com os portugueses, tendo identificado duas dezenas de cidadãos que são ali residentes ou que se encontram em visita à cidade de Wuhan.

Hong Kong declara estado de emergência devido a coronavírus

O país decidiu ainda manter encerradas as escolas primárias e secundárias durante as duas próximas semanas, depois das férias do Ano Novo Lunar.
Comentários