Alter Solutions vai contratar 200 profissionais para operação portuguesa em 2021

Atualmente, a Alter Solutions Portugal conta com mais de 375 trabalhadores, divididos entre os escritórios de Lisboa e do Porto.

Reuters

A consultora francesa Alter Solutions prevê contratar 200 novos profissionais este ano para reforçar a operação portuguesa, foi esta terça-feira anunciado. A consultora iniciou atividade em 2006, tendo entrado no mercado português em 2015. Atualmente, a Alter Solutions Portugal conta com mais de 375 trabalhadores, divididos entre os escritórios de Lisboa e do Porto.

Em comunicado, a consultora tecnológica adianta que vai procurar novos profissionais “nas áreas de DevOps, desenvolvimento mobile, ciência de dados, business intelligence, gestão de projetos, infraestruturas e quality assurance”. Além destas, a empresa quer reforçar as equipas de suporte á estrutura. Estas são as áreas que a empresa considera “chave para os próximos anos”.

O objetivo dos novos recrutamentos é aumentar a capacidade da operação da Alter Solutions, em Portugal. Isto porque a “crescente transformação digital das empresas, transversal a todos os sectores, e a contínua necessidade de profissionais qualificados nas tecnologias de informação” determinarão o futuro da operação nacional da Alter Solutions, segundo o chief operating officer da empresa em Portugal, Bernardo Estriga.

“Acreditamos que 2021 vai ser um ano determinante para dar continuidade ao posicionamento que temos vindo a afirmar junto dos nossos clientes”, acrescenta Bernardo Estriga. A grande aposta da Alter Solutions Portugal é o mercado internacional, que já representa 15% da operação.

No ano de 2020, apesar da pandemia, a tecnológica registou um crescimento de 25% do volume de negócios, para 13 milhões de euros, e conseguiu mais de 100 clientes ativos, em sectores como a banca, seguros e indústria.

“O ano de 2020 foi de adaptação das nossas práticas aos novos contextos que o mercado exige, sempre alinhadas com os objetivos estratégicos definidos para a empresa. Olhando para trás, podemos dizer que foi um ano muito positivo para a nossa atividade, ainda que altamente desafiante. Conseguimos angariar novos clientes, e iniciámos projetos muito estimulantes”, assegura Bernardo Estriga.

Ler mais
Recomendadas

PremiumImparidades de 841,2 milhões de euros tiram 300 milhões ao lucro do BCP

O BCP teve lucros de 183 milhões de euros, menos 39,4% do que em 2019, graças às provisões de 841,2 milhões de euros no contexto Covid-19. Polónia e Fundos de Restruturação impactaram nas contas.

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.
Comentários