Altice avança com novo plano de rescisões com pré-reforma

Empresa dona do MEO vai lançar uma nova fase do Programa Pessoa, abrangendo trabalhadores com pelo menos 55 anos e mais de 15 anos de serviço.

A Altice Portugal vai avançar com a segunda fase do plano de rescisões com pré-reforma,  denominado “Programa Pessoa”, abrangendo colaboradores com pelo menos 55 anos de idade e antiguidade superior a 15 anos.

De acordo com uma mensagem enviada aos trabalhadores, a que o Jornal Económico (JE) teve acesso, as pessoas abrangidas terão direito a 80% do vencimento-base e diuturnidades, acrescidos de 40% de outras rubricas remuneratórias, caso existam (Isenção de Horário de Trabalho e Complemento de Responsabilidade).

Depois de no início do ano a Altice Portugal ter avançado com a reorganização do Comité Executivo e com a simplificação da estrutura orgânica da empresa, lança agora a segunda fase do Programa Pessoa, um programa de saídas voluntárias, que contempla a pre-reforma para colaboradores com 55 anos (ou mais) e pelo menos 15 anos de antiguidade.

Os colaboradores que aderirem a esta modalidade têm garantida a manutenção dos planos de saúde e os benefícios de comunicações aplicáveis a cada momento a esta população, bem como a possibilidade de celebrar outro contrato de trabalho desde que o mesmo não seja estabelecido com uma entidade concorrente. Os colaboradores têm até 15 de março para manifestar interesse em aderir ao programa, com as saídas a terem efeito a partir de maio.

“Com o país e o mundo a atravessar um dos piores contextos de que há memória, em resultado de uma pandemia ainda sem fim à vista, e com o nosso setor a ser pressionado por um ambiente regulatório conturbado e hostil com consequências imprevisíveis, torna-se imperativo dar mais um passo na transformação da nossa empresa com vista à sua sustentabilidade”, começa por explicar o Chief Corporate Officer (CCO) da empresa, numa carta enviada aos trabalhadores, consultada pelo JE.

O COO explica aos colaboradores que o objetivo é “tornar a empresa mais ágil, mais eficiente e mais adaptada para fazer face a realidades cada vez mais complexas e difíceis”, bem como enfrentar o novo contexto.

“Para a Altice Portugal a gestão responsável de Recursos Humanos e a visão estratégica para o negócio em que opera implicam também a procura de soluções excecionais que privilegiem a via negocial e que vão ao encontro dos interesses das partes envolvidas, num quadro de total respeito e entendimento”, sublinha João Zúquete da Silva, na missiva.

Os colaboradores podem manifestar o seu interesse até ao dia 15 de março de 2021, reservando-se a empresa o direito de analisar caso a caso, sendo a manifestação de interesse analisada pela empresa e só se efetivando a saída após confirmação formal. Amanhã, será disponibilizada toda a informação sobre o programa.

Notícia atualizada às 20h10 

Ler mais
Recomendadas

Grupo de trabalho defende subida de taxa nas barragens da Engie no rio Douro

Três das barragens pagam atualmente 67 mil euros por ano, mas com uma atualização da taxa passariam a pagar 751 mil euros anuais. Parte da receita da taxa de recursos hídricos deve ser usada no “apoio de projetos no território” impactado pelas barragens, defende o documento.

Luís Filipe Vieira vai hoje à Comissão de Inquérito para explicar reestruturação da dívida ao Novo Banco

Fundo que ficou com a maior parte das dívidas e ativos do grupo Promovalor ao Novo Banco não vai conseguir cumprir plano de reembolsos. Como o presidente do Benfica deu o seu aval, poderá ser executado pelo Novo Banco já no próximo ano. Vieira é um dos grandes devedores a ser ouvido nesta segunda-feira pelos deputados.

Vítor Bento será o próximo presidente da Associação Portuguesa de Bancos, avança Marques Mendes

Vítor Bento tem vasta experiência no sector financeiro. O economista foi presidente executivo da SIBS e também foi o último presidente do Banco Espírito Santo e o primeiro do Novo Banco.
Comentários