Amazon abriu o primeiro supermercado sem caixas registadoras

A maneira como se fazem as compras é totalmente inovadora. Primeiro descarrega-se a aplicação ‘Amazon Go’, depois à entrada da loja a pessoa regista, através de um ‘QR Code’, o seu smartphone e inicia o seu percurso de compras.

Depois de terem lançado as mercearias Amazon Go, a empresa de Jeff Bezos aventura-se agora no mundo dos supermercados, com a abertura oficial de 25 lojas nos Estados Unidos. A imagem de marca das lojas é a eliminação das caixas de registadores, segundo o “TechCrunch”.

A maneira como se fazem as compras é inovadora: primeiro descarrega-se a aplicação ‘Amazon Go’, depois à entrada da loja o cliente regista-se através de um ‘QR Code’ fornecido pela aplicação e em seguida basta iniciar o percurso pelo supermercado.

À medida que vai tirando os produtos das prateleiras, a aplicação vai registando através de um cruzamento de dados com as camaras do espaço comercial e, depois, é criado um carrinho de compras virtual que, assim que a pessoa sai da loja, desconta o valor diretamente da conta evitando a criação de filas e um segundo processamento dos produtos escolhidos.

Os trabalhadores ficam assim encarregues de outras tarefas, como a reposição constante dos produtos e a ajuda ao cliente.

Esta tecnologia já estava a ser usada pela Amazon através das suas lojas de conveniência, desenhadas para clientes apressados e que, à partida, só estejam interessados em comprar um ou dois produtos.

Num supermercado o tipo de clientes é diferente, como tal, a tecnologia de automatização teve que ser adaptada, ou seja, nas lojas de conveniência a partir do momento que se retira um produto da prateleira é automaticamente contabilizado, num supermercado é bem diferente, uma vez que as pessoas têm a tendência para comparar preços e marcas. A tecnologia é ligeiramente diferente e possibilita que quem queira fazer compras o faça de uma maneira mais fluida.

A Amazon está concentrada em testar as capacidades da sua tecnologia, mas também procura avaliar a viabilidade da criação de uma cadeia de supermercados. Para já existem 25 supermercados onde não se usa dinheiro vivo, todos nos Estados Unidos.

Ler mais
Recomendadas

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.

PremiumProibição dos festivais até ao final de setembro “é uma catástrofe para centenas de empresas”

Todos os serviços que estão integrados na realização de um festival musical estão a ser afetados pela lei que proíbe a realização desse tipo de eventos.
Comentários