Ana Gomes: “Ministério Público demonstra encarniçamento contra Rui Pinto”

Ex-deputada do Parlamento Europeu reagiu em declarações ao Jornal Económico, sobre o pedido de alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE), feito pelo Ministério Público à Hungria para fazer novas acusações a Rui Pinto.

Ana Gomes já reagiu ao pedido de alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE), feito pelo Ministério Público (MP) à Hungria, para assim poder acusar o colaborador do Football Leaks, Rui Pinto por novos factos apurados na investigação relacionada com a Doyen e o Sporting. Em declarações ao Jornal Económico a ex-deputada do Parlamento Europeu refere que esta medida “só demonstra encarniçamento do Ministério Público, contra Rui Pinto, enquanto deixa à solta grandes criminosos que ele expôs”.

Para Ana Gomes este pedido do Ministério Público português não foi uma surpresa. “Não tem nada de novo, sei disso há semanas”, afirma.

Em prisão preventiva desde 22 de março, o português Rui Pinto, de 30 anos, foi detido em janeiro na Hungria e entregue às autoridades portuguesas, com base num MDE que apenas abrange os acessos ilegais aos sistemas informáticos do Sporting e do fundo de investimento Doyen Sports, estando indiciado pela prática de quatro crimes: acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa à pessoa coletiva e extorsão na forma tentada.

Como o arguido nunca renunciou ao princípio da especialidade, para que a justiça portuguesa possa vir a acusar e a julgar Rui Pinto por outros factos e crimes que não estes, o MP teve de pedir a extensão do MDE às autoridades húngaras, com base em novos factos e indícios entretanto apurados no decorrer da investigação – que não constam mandado original – e que poderão vir a dar origem a outros processos judiciais.

Relacionadas

Ministério Público pede à Hungria extensão do Mandado de Detenção Europeu de Rui Pinto

Em prisão preventiva desde 22 de março, Rui Pinto foi detido em janeiro na Hungria, estando indiciado pela prática de quatro crimes: acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa à pessoa coletiva e extorsão na forma tentada.

Football Leaks: Rui Pinto acedeu a e-mails de Ministério Público, MAI, FIFA e FC Porto

Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, terá acedido ao correio eletrónico de “largas dezenas de ofendidos”, nomeadamente, magistrados do Ministério Público, elementos da Administração Interna, PSP, escritórios de advogados, FIFA, FC Porto, Nacional e Confederação Sul-americana de Futebol.
Recomendadas

PremiumJustiça investiga três dos candidatos do PSD a deputados na Assembleia da República

Em causa estão crimes de corrupção, abuso de poder e falsidade informática. Visados são obrigados a apresentar demissão, caso sejam condenados. Direção do PSD recusa “julgamentos em praça pública”.

Pardal Henriques reage à acusação da PGR: “Nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado”

O porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) afirma que em abril o Departamento de Investigação e Ação Penal “respondeu-nos que não existia queixa nenhuma”.
pedro-pardal-henriques

Pardal Henriques é alvo de inquérito judicial, confirma PGR

“Confirma-se a existência de um inquérito, o qual se encontra em investigação no DIAP de Lisboa”, diz a PGR numa resposta escrita à agência Lusa sobre a existência de uma investigação a Pardal Henriques.
Comentários