Ana Gomes: “Ministério Público demonstra encarniçamento contra Rui Pinto”

Ex-deputada do Parlamento Europeu reagiu em declarações ao Jornal Económico, sobre o pedido de alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE), feito pelo Ministério Público à Hungria para fazer novas acusações a Rui Pinto.

Ana Gomes já reagiu ao pedido de alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE), feito pelo Ministério Público (MP) à Hungria, para assim poder acusar o colaborador do Football Leaks, Rui Pinto por novos factos apurados na investigação relacionada com a Doyen e o Sporting. Em declarações ao Jornal Económico a ex-deputada do Parlamento Europeu refere que esta medida “só demonstra encarniçamento do Ministério Público, contra Rui Pinto, enquanto deixa à solta grandes criminosos que ele expôs”.

Para Ana Gomes este pedido do Ministério Público português não foi uma surpresa. “Não tem nada de novo, sei disso há semanas”, afirma.

Em prisão preventiva desde 22 de março, o português Rui Pinto, de 30 anos, foi detido em janeiro na Hungria e entregue às autoridades portuguesas, com base num MDE que apenas abrange os acessos ilegais aos sistemas informáticos do Sporting e do fundo de investimento Doyen Sports, estando indiciado pela prática de quatro crimes: acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa à pessoa coletiva e extorsão na forma tentada.

Como o arguido nunca renunciou ao princípio da especialidade, para que a justiça portuguesa possa vir a acusar e a julgar Rui Pinto por outros factos e crimes que não estes, o MP teve de pedir a extensão do MDE às autoridades húngaras, com base em novos factos e indícios entretanto apurados no decorrer da investigação – que não constam mandado original – e que poderão vir a dar origem a outros processos judiciais.

Relacionadas

Ministério Público pede à Hungria extensão do Mandado de Detenção Europeu de Rui Pinto

Em prisão preventiva desde 22 de março, Rui Pinto foi detido em janeiro na Hungria, estando indiciado pela prática de quatro crimes: acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa à pessoa coletiva e extorsão na forma tentada.

Football Leaks: Rui Pinto acedeu a e-mails de Ministério Público, MAI, FIFA e FC Porto

Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, terá acedido ao correio eletrónico de “largas dezenas de ofendidos”, nomeadamente, magistrados do Ministério Público, elementos da Administração Interna, PSP, escritórios de advogados, FIFA, FC Porto, Nacional e Confederação Sul-americana de Futebol.
Recomendadas

Interrogatórios de Ricardo Salgado no Monte Branco e BES podem ser utilizados na Operação Marquês, diz juiz

A Relação de Lisboa voltou a contrariar o juiz Ivo Rosa e diz que depoimento de Ricardo Salgado na operação Monte Branco pode ser usado.

Tribunal de Contas acusa ministério de Centeno de falta de liderança na reforma das Finanças Públicas

O Tribunal de Contas alerta que quatro projetos que deveriam ter sido concluídos no primeiro semestre de 2019 não foram ainda iniciados no âmbito da implementação da Lei de Enquadramento Orçamental. Recomenda mais meios, assim como estabelecer melhor hierarquia nas prioridades dos projetos.

Operação Marquês: Início do debate instrutório adiado para 4 de março

O início do debate instrutório da Operação Marquês, que estava previsto para o fim de janeiro de 2020, foi adiado para 04 de março do próximo ano, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.
Comentários