PremiumAndré Silva: “O PS continua altamente permeável aos interesses económicos”

Deputado do PAN alerta para os riscos da maioria absoluta no sistema democrático e diz que o Governo de PS, com acordos à esquerda, trouxe maior abertura ao diálogo interpartidário. Pretende mais responsabilidade política e recusa-se a fazer “oposição estéril”.

André Silva defende que a solução governativa encontrada pelo PS, PCP, PEV e BE foi benéfica para a valorização das propostas apresentadas pelo PAN. O deputado defende que uma maior pluralidade significa maior “humildade” na governação e maior capacidade de ouvir e sublinha a importância de travar uma eventual maioria absoluta do PS. Não esquece as dificuldades em ser deputado único e conta ter um grupo parlamentar.

Que mais-valias trouxe o PAN ao Parlamento?
Uma das mais-valias que o PAN trouxe à política portuguesa é ter conseguido autonomizar e dignificar o campo político ambientalista, que até agora não existia e não era prioridade de nenhum partido com representação parlamentar. Trabalhámos e vamos continuar a trabalhar para concretizar mudanças, por mais pequenas que ejam, mais do que estar num papel de oposição estéril e só porque sim.

Sendo o único deputado do PAN foi-lhe fácil acompanhar a atividade parlamentar?
Não. Foi um desafio enorme, mas não consegui acompanhar tudo. Tive momentos de frustração em que queria ter acompanhado temas que não consegui. Desde logo, porque tínhamos uma limitação de mandatos, poucos recursos e muito pouco tempo para fazer os próprios debates. Aproveitámos os constrangimentos regimentais, em termos dos debates em que podemos participar, e fizemos uso das regras que nos deram. O PAN não conseguiu fazer, nem pouco nem mais ou menos, tudo aquilo que queria. Fizemos o que nos deixaram.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumLisboa, para onde vais?

A inevitabilidade do passado é essencial para programar o futuro de Lisboa. Como escreveu Raul Lino, em 1966, “…Os acontecimentos políticos que se estão dando pelo mundo fora, para mim, nesta época de inundações diluvianas, fazem-me o efeito de uma enxurrada devastadora que vai passando pela nossa aldeia, e só tenho o desejo instintivo de que ela não chegue a atingir a rua onde nós moramos.”

PremiumJoaquim Cunha: “A saúde será cada vez mais um dos motores do desenvolvimento económico”

Diretor executivo do Health Cluster Portugal está otimista de que as exportações em saúde vão manter tendência de crescimento no segundo semestre, com Alemanha, França, Reino Unido e EUA como os principais mercados.“Smarth health” é uma áreas com maior potencial para o VAB, diz.

PremiumDetetar ‘fake news’ eleitorais já é oportunidade de negócio

Empresa portuguesa Visionware junta recursos informáticos e humanos para detetar ataques contra os candidatosque são seus clientes e repor a verdade. Algo que significa a “verdade do cliente”, tirando nos casos mais graves.
Comentários