PremiumAndré Ventura lança ‘luta séria’ até António Costa deixar o poder

“Ao contrário de alguns, que dizem que com o Chega ‘nunca’, nós dizemos que com a direita ‘sempre’”, afirma Ventura, que quer “governar”.

“O Chega nunca será um partido de protesto, nasceu para governar. O nosso congresso vai refletir isso”. As palavras são de André Ventura, presidente do partido, muito aplaudido na Convenção do MEL.

A III Convenção Nacional, a realizar este fim-de-semana, em Coimbra, tendo por base a moção estratégica “Governar Portugal” apresenta um objetivo: “Criar as condições para uma luta séria até António Costa deixar de ser primeiro-ministro”, afirma Ventura.

O presidente do Chega, que apresentou a demissão do cargo na sequência de não ter conseguido alcançar a promessa de ficar à frente de Ana Gomes nas eleições presidenciais, foi reeleito para líder da direção nacional pela terceira vez em menos de três anos em eleições diretas realizadas em 6 de março.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumOtimismo vai continuar a dominar os mercados nos próximos tempos

Processos de vacinação contra a apandemia de Covid-19 e retoma das economias sustentam otimismo, mesmo com riscos a ter em conta.

PremiumRotas de Verão: Parque Nacional Peneda-Gerês

Dizer que entramos pela Porta de Montalegre é uma força de expressão, quando diante de nós e a perder de vista, se estende este vasto território com mais de 70 mil hectares, bem no alto Noroeste de Portugal, a vincar a fronteira com terras castelhanas, por entre as Serras do Gerês, Amarela, Soajo e Peneda.

PremiumFundo de Resolução vai avaliar recomendações da CPI ao Novo Banco

O relatório da CPI ao Novo Banco recomenda que a Oliver Wyman deixe de ser o agente verificador do valor de injeção a pedir pelo Novo Banco ao Fundo de Resolução. O Fundo vai analisar.
Comentários