Angela Merkel alerta que alívio das medidas de confinamento deve ser “cuidadosa e gradual”

Merkel alertou que qualquer alívio das medidas de confinamento semelhantes aquelas que foram introduzidas no ano passado e estendidas até 7 de março de 2020 devem ser feitas de forma “cuidadosa e gradual”.

POOL

A chanceler alemã, Angela Merkel, reiterou que o país está a atravessar a “terceira onda” da pandemia de Covid-19. As declarações foram dirigidas aos legisladores do seu partido durante uma reunião, segundo duas fontes presentes citadas pela “Reuters”.

Merkel alertou que qualquer alívio das medidas de confinamento semelhantes aquelas que foram introduzidas no ano passado e estendidas até 7 de março de 2020 devem ser feitas de forma “cuidadosa e gradual”.

No passado, o encerramento de todas as empresas consideradas “não essenciais” e o reforço do controlo de fronteiras com a Áustria e a República Checa – onde ocorreram surtos relacionados com uma das variantes mais infeciosas do vírus, ajudaram a Alemanha a diminuir significativamente o número de infeções diárias por Covid-19.

No entanto, uma distribuição lenta e, consequente, aplicação das doses da vacina contra a Covid-19, a que se junta o risco iminente de surgirem novos surtos relacionados com as variantes mais infeciosas do novo coronavírus, podem dificultar o alívio das medidas de confinamento, alerta o governo alemão.

“Não podemos permitir altos e baixos”, disse Merkel aos participantes da reunião, sugerindo que queria que qualquer retorno à vida normal fosse feito com “cuidado” de forma a evitar a reintrodução de medidas de confinamento caso as infeções comecem a aumentar novamente.

A chanceler alemã demonstrou ainda a vontade de disponibilizar mais testes rápidos e aumentar a capacidade de testagem, para garantir o regresso à normalidade em segurança, segundo fontes citadas pela “Reuters”.

Ler mais
Recomendadas

Governo espera reabrir turismo em maio

“Por enquanto, as viagens não essenciais precisam de ser restritas, mas acreditamos que Portugal vai poder permitir viagens sem restrições em breve, não só para pessoas vacinadas, mas também para pessoas imunes ou que testem negativo”, afirmou Rita Marques à BBC.

SATA aprova acordo de emergência. Sindicato diz que salvou mais de 500 postos de trabalho na TAP

Num universo de 213 associados tripulantes da SATA, votaram 152 associados, com 135 votos a favor e 17 votos contra o ‘Acordo de Emergência’, releva um comunicado do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, dando assim por concluído um processo que envolveu 40 reuniões com as administrações da PGA, da TAP e da SATA, num balanco global em que o sindicato destaca que se salvaram mais de 500 postos de trabalho na TAP.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários