PremiumAnnalena Baerbock: A mulher que quer ser a primeira chanceler verde da Alemanha

Os democratas-cristãos da CDU e da CSU não se entendem quanto ao nome que irá substituir Angela Merkel; o SPD continua desaparecido em combate; e os Verdes alemães estão nos antípodas dos grupos ecologistas radicais de 1980. Ao ponto de a sua co-líder se arriscar a ser a próxima mais poderosa de Berlim.

Num país com fortes tradições extremistas, a Alemanha foi palco do nascimento de uma das primeiras formações ‘verdes’ da Europa – numa altura em que as opções tradicionais da área da esquerda (a larga panóplia da oferta comunista e à esquerda do comunismo descrito como soviético) se aproximavam perigosamente do ocaso. Algures nas últimas décadas do século passado, os partidos verdes lançaram na esquerda europeia uma aura de renovação que misturava preocupações sociais, a recusa do desenfreado liberalismo económico e um antimilitarismo militante com um estilo de vida ‘desengravatado’, um leve cheiro a marijuana e os cabelos mais compridos que a norma vigente.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAurélio Pereira: O “olho de ouro” que levou Portugal à glória europeia

“Ver para Crer” é o livro com as histórias mais marcantes do maior caça-talentos da história do futebol português, responsável pela chegada de 62 jogadores à Seleção portuguesa, dez dos quais sagraram-se mesmo campeões da Europa em 2016. Aurélio Pereira singrou na altura em que as camadas jovens eram desvalorizadas e era preciso convencer os clubes a investir.

PremiumBem-estar no trabalho: Em busca de um novo equilíbrio no pós-pandemia

“As pessoas estão a mostrar a sua essência e isso permite aprender lições importantíssimas”. Quem o diz é José Soares, professor de Fisiologia, alertando para a importância de empresas e colaboradores trabalharem juntos para se alcançar um equilíbrio sustentável.

PremiumDono da Amazon prestes a cumprir um sonho com 40 anos: viajar para o espaço

A primeira vez que Jeff Bezos falou da sua vontade de colonizar o espaço foi em 1982. O que parecia ser um devaneio de juventude não especialmente imaginativo vai ter um ponto alto a 20 de julho, quando o na altura ex-CEO da Amazon voar para lá do limite da Linha Karman.
Comentários