Antiga vice-presidente do Politécnico de Lisboa dirige Erasmus+ em Portugal

Ana Perdigão é especialista em Direito Europeu e, enquanto responsável do Politécnico, teve a seu cargo as áreas da internacionalização, académica e da qualidade e acreditação.

Bruno Barbosa

Ana Cristina Miranda Perdigão é a nova diretora da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação, anunciou esta quinta-feira, 17 de setembro, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Segundo a tutela, terá como missão “preparar a Agência Erasmus+ para uma nova fase de construção europeia e de reforço da posição de Portugal nas redes europeias de ensino e formação”, competindo-lhe  promover a transição entre o atual Programa Erasmus+, que termina no final de 2020, e o novo Programa Erasmus+ que vai vigorar entre 2021-2027. Um período que o país quer aproveitar para “fortalecer o papel da Agência no aumento da mobilidade de estudantes do ensino superior, de Portugal para o estrangeiro e do estrangeiro para Portugal, reforçando e diversificando o atual padrão de mobilidade e países de origem e destino dos estudantes”.

O vasto caderno de encargos de Ana Perdigão inclui “reforçar a atração de estudantes luso-descendentes para as instituições de ensino superior portuguesas, reforçar e modernizar a cooperação entre as instituições de ensino superior nacionais e as congéneres europeias para a mobilidade de estudantes e docentes, incentivar a constituição e a participação nas redes europeias de instituições de ensino superior no âmbito da iniciativa ‘Universidades Europeias’, promover parcerias estratégicas para a mobilidade entre operadores nacionais e europeus de ensino e formação profissional e implementar mecanismos regulares de monitorização e divulgação da gestão do Programa a nível nacional e de divulgação pública da correspondente informação.

Ana Perdigão é licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa e Mestre em Estudos Europeus – Dominante Jurídica pelo Instituto de Estudos Europeus daquela instituição. Desempenhou lugares de destaque na academia, tendo sido Vice-presidente do Instituto Politécnico de Lisboa, com tutela nas áreas da internacionalização, académica e da qualidade e acreditação. Entre 2009 e 2012 foi Vice-presidente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa (ISCAL), que integra o Politécnico, onde foi responsável pelas unidades curriculares de Direito da União Europeia, Direito Europeu da Concorrência e Direito Processual Civil.

No Politécnico de Lisboa foi, nomeadamente responsável pela definição e implementação da estratégia conducente à execução do Programa Erasmus+, supervisionou a execução de ações de mobilidade de estudantes, estágios de estudantes e docentes, assim como o programa Erasmus Mundus Joint Masters Degree.

Recomendadas

Programa Carnegie Mellon Portugal lança 12 bolsas para doutoramentos em TIC

As candidaturas decorrem até final de dezembro em sete áreas: Robótica, Interação Pessoa-Máquina, Informática, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, Engenharia de Software, Engenharia de Políticas Públicas e Tecnologias de Língua Falada.

Fundação José Neves recebe 262 candidaturas para programa de bolsas de estudo reembolsáveis

Maioria dos candidatos é do sexo feminino e consta já uma formação no ensino superior. FJN vai investir cinco milhões de euros em “bolsas reembolsáveis” que vão apoiar 1.500 estudantes no acesso à formação e ao desenvolvimento de competências necessárias para vingar no futuro.

Cantinas escolares vão estar em greve geral na próxima segunda-feira

Federação dos sindicatos do setor dá conta de que os trabalhadores das cantinas escolares vão fazer uma greve nacional na próxima segunda-feira, 26 de outubro. E prevê uma “grande adesão à greve, com centenas de cantinas escolares encerradas e escolas que não vão ter aulas”.
Comentários