António Costa e Angela Merkel concordam em “manter ritmo elevado da vacinação”

O primeiro-ministro explica nas redes sociais, que Portugal assumirá a Presidência da União Europeia nos próximos seis meses sob o lema “tempo de agir: por uma recuperação justa e digital” e aponta que em maio haverá uma “Cimeira Social” focada nas transições climática e digital.

Yves Herman/Reuters

A Presidência da União Europeia passou para as mãos de Portugal esta segunda-feira, 4 de janeiro, e o primeiro-ministro, António Costa destacou nas redes sociais alguns aspetos da sua reunião com a Chanceler alemã, Angela Merkel.

“Excelente reunião com a Chanceler Angela Merkel para passagem de testemunho entre Presidências da União Europeia. Concordámos na importância de manter ritmo elevado da vacinação e de pôr no terreno os instrumentos para a recuperação económica e social”, escreveu António Costa no Twitter.

Como António Costa explica noutra publicação, Portugal assumirá a Presidência da União Europeia nos próximos seis meses sob o lema “tempo de agir: por uma recuperação justa e digital”. Na publicação é sublinhado que existirão três prioridades fundamentais: “a recuperação económica e social baseada nos motores da transição climática e digital, reforçar a autonomia estratégica de uma União Europeia aberta ao Mundo e desenvolver o pilar social da União Europeia, que constitui uma base de confiança que nos permitirá liderar as transições climática e digital sem deixar ninguém para trás, tema central da Cimeira Social que realizaremos em maio, no Porto”.

Ler mais
Relacionadas

António Costa assegura que aposta no social “é crítica” para que “ninguém fique para trás”

O primeiro-ministro, António Costa, define a aposta da presidência portuguesa no social como “crítica” para assegurar que “ninguém fique para trás” nas mudanças que a digitalização e as alterações climáticas vão impor à economia.

Costa defende diálogo a 27 porque “para rutura já chegou o Brexit”

As divergências dentro da União Europeia (UE) existem e devem ser assumidas e resolvidas através do diálogo, defende o primeiro-ministro, António Costa, frisando que “para rutura já chegou o ‘Brexit’”.

Costa considera que bloquear acordo UE-China em função dos EUA seria “péssimo sinal”

António Costa considera que “seria um péssimo sinal” a União Europeia bloquear o acordo de investimento com a China, concluído há dias, para se coordenar com os Estados Unidos, porque a Europa deve ser um ator global autónomo.
Recomendadas

Portugal promove “soluções para impacto assimétrico da crise”, garante ministro das Finanças

“Chegámos a um acordo sem precedentes que permite a emissão de dívida europeia em larga escala para financiar a recuperação economia europeia através dos programas de recuperação europeus”, referiu João Leão depois da reunião do G20.

Autárquicas: CDS-PP diz que Carlos Moedas é “um nome forte” para lidar “coligação de centro-direita” em Lisboa

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, acredita que o ex-comissário europeu é “capaz de libertar os lisboetas do socialismo e oferecer à cidade uma mudança para o futuro”, impedindo uma nova vitória do PS nas eleições deste ano.

Primeiro-ministro: “É natural que o desconfinamento comece pelas escolas”

António Costa recordou esta sexta-feira Governo “resistiu” até à última hipótese ao encerramento das escolas por causa do entrave que implica no desenvolvimento e no processo de aprendizagem dos alunos.
Comentários