PremiumAntónio Rios Amorim: “A Corticeira não pensa só Portugal, pensa o mundo”

Na estratégia da empresa não se operaram mudanças: o foco é acrescentar valor à cortiça. Só a ambição cresceu, garante António Rios Amorim.

Numa altura em que a Corticeira Amorim já dá cartas, no plano internacional, em esferas tão diversas como a indústria aeroespacial, setor vinícola, engenharia de som, o design e a arquitetura, grandes infraestruturas, revestimentos de edifícios ou desporto, a aposta na inovação é uma vez mais reforçada com o City Cortex.

Este projeto vem fortalecer uma estratégia que, apesar de tão focada na investigação e inovação, não sofreu alterações de fundo, já que a maior fatia do volume de negócios, cerca de 70%, continua a ser proveniente das rolhas, representando 27% da quantidade de cortiça exportada. “Não há nenhuma aplicação que crie tanto valor à cortiça como a rolha”, frisou António Rios de Amorim, aquando da apresentação do mais recente projeto da Corticeira Amorim.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Falhas na rede móvel da NOS solucionadas. Operador vai averiguar “grave incidente”

A operadora admitiu que falha na rede “provocou interrupção do serviço de voz e dados”, “com impacto em clientes em algumas zonas do país”. Fonte oficial da NOS explicou ao JE que entre o reporte das falhas e a sua resolução passaram “apenas” duas horas e que os planos de contingência foram prontamente ativados e bem sucedidos.

Miguel Maya: “BCP já tem cinco mil operações por dia feitas por robôs”

“O BCP aprendeu com os erros do passado”, reconheceu o banqueiro. Miguel Maya disse que era preciso a tecnologia com a relação humana já que “a tecnologia é para servir a relação”, referiu.

Quatro azeites portugueses entre os 100 melhores do mundo

Três dos azeites portugueses premiados têm preços abaixos dos seis euros, com o quarto a custar dez euros.
Comentários