Arábia Saudita suspende IPO da petrolífera estatal Saudi Aramco

O IPO da gigante energética saudita ,deveria avançar já no próximo ano, mas a agência Reuters avança que Riade cancelou os planos da entrada em bolsa.

A Arábia Saudita terá descartado os planos de colocar a petrolífera estatal, a Saudi Arabian Oil Company, em bolsa, segundo a notícia veiculada esta quarta-feira pela Reuters. O IPO da gigante energética saudita deveria avançar já no próximo ano.

A oferta pública inicial seria a maior de sempre e permitiria ao príncipe herdeiro Mohammed bin Salman reforma a economia saudita, passando a designada Saudi Aramco a estar avaliada em cerca de dois biliões de dólares (aproximadamente 1,73 mil milhões de euros).

Apesar de a Saudi Aramco não ter comentado, caso a informação da agência noticiosa se venha a confirmar, o fim do IPO será também o ponto final de mais de dois anos e meio de especulação no mercado, competição entre as bolsas a nível mundial, impasse entre entidades bancárias e antecipação regulatória.

A Rússia, que juntamente com a Arábia Saudita completa a dupla de maiores produtores de petróleo do mundo, chegou a mostrar interesse em entrar no IPO da Saudi Aramco. Depois de vários anos de rivalidade, os países uniram-se para entrarem num acordo de cortes de produção da matéria-prima, com vários outros países exportadores, para tentarem diminuir o excesso de oferta face à procura no mercado. A entrada em bolsa da empresa saudita chegou a ser vista como uma oportunidade para voltar a unir as potências.

Saudi Aramco muda de estatuto e entrada em bolsa fica mais perto

Ler mais

Recomendadas

Crime, anunciam eles

Quando a UE anuncia a exigência da reindustrialização da Europa, da recuperação da localização das cadeias de valor no interior do espaço comunitário, não está a falar de empresas industriais/cadeias de valor em Portugal.

Trabalhadores independentes e de serviço doméstico voltam a ter apoio para ficar com filhos menores de 12 anos

O apoio diz respeito a 66% do salário bruto do trabalhador, com 33% a ser pago pela empresa e 33% pelo Estado, excluindo subsídios e complementos. Os trabalhadores em regime de teletrabalho ficam sem direito a este apoio. e só um dos pais o pode pedir. Saiba como pedir este apoio.

Escolas fecham mas universidades têm autonomia para decidir se encerram

As creches, os ATL e as escolas vão ter de encerrar e de suspender as atividades letivas a partir de amanhã e durante 15 dias. No caso das universidades, os estabelecimentos têm o poder para decidir se fecham ou se ficam abertos.
Comentários